Provérbios 31:31

Dai-lhe do fruto das suas mãos, e louvem-na nas portas as suas obras.

Play Audio

Uma grande mulher deve ser recompensada e honrada. Deus tem cuidado com bois e apóstolos que trabalham arduamente (Dt 25:4; ICo 9:7-14). Ele também tem cuidado com grandes e piedosas mulheres (IPe 3:5-7). Se senhores honram grandes empregados, certamente os maridos devem honrar grandes esposas (Pv 17:2; 27:18). Recompensas e honras motivam os homens a cumprirem seus deveres, assim também devem motivar as delas. Para aqueles que pensam que a Bíblia denigra as mulheres é porque nunca leram a Bíblia para saberem.

Mas a regra não se aplica a todas as mulheres, pois muitas não merecem recompensas ou honras. Servos tolos ou preguiçosos não devem ser honrados. É pecado honrar um tolo ou um vadio (Pv 20:4; 26:1,8). A mulher virtuosa é uma raridade (Pv 31:10), é uma exceção (Pv 31:29), e é piedosa (Pv 31:30). A maioria das mulheres, por definição, é comum, mediana e não é piedosa; e muitas são piores. A sabedoria aqui expressada é de uma rainha mãe para o seu filho a respeito de como deve cuidar de uma grande mulher.

Se todas as mulheres fossem honradas por este provérbio, muitos males seriam estimulados (Pv 12:4; 27:15-16; 30:21-23), E é abuso da recompensa e da honra (Pv 19:10; Ec 10:5-7). Toda mulher deve se medir pela mulher virtuosa antes de pensar que ela é digna de recompensa ou de louvor. Mas o homem abençoado com uma grande mulher no contexto deve recompensar e honrá-la nominalmente diante dos outros. Ele deve louvar e exaltar esta maravilhosa benção terrestre.

Ele deveria "dar a ela do fruto de suas mãos." Ela foi criada para o homem e o trabalho produtivo dela está à disposição dele (Gn 2:18; ICo 11:9). Mas o céu ordena a ele que dê a ela uma porção desse fruto para o uso pessoal dela. Ele não deve dar a ela todo o fruto de suas mãos, ou o intento do casamento será derrubado. Mas ele deve dar uma parte do fruto. Uma recompensa justa estimulará o espírito dela e será objeto de maior produtividade (Pv 31:16).

A mulher virtuosa - uma mulher verdadeiramente excepcional - estava envolvida em projetos significantes fora do lar. Ela analisou e comprou um imóvel comercial e o desenvolveu com o objetivo de obter retornos produtivos (Pv 31:16). Ela fabricou material sofisticado, desenvolveu uma operação de venda desse material e deu cintas para os atacadistas (Pv 31:24). Havia muito fruto a ser dividido com ela! Muitos homens buscaram em vão encontrar bens ou receita gerados para dividirem com sua mulheres pois, ou elas tinham sido indolentes no trabalho ou tolas demais para direcionar suas habilidades para obter renda.

Um marido sábio deixará que "louvem-na nas portas as suas obras." Seus feitos devem ser conhecidos como propriamente seus ao invés de seus maridos levarem todo o crédito pelo aumento dos seus bens. Um homem sábio louvará uma mulher excepcional por seus grandes feitos. Ele não abafará nem restringirá a honra que ela recebe, mesmo que seus feitos igualam ou excedem os seus próprios. Se ele fizer isto de um modo correto e sábio, isso resultará em seu louvor às portas da mesma cidade (Pv 31:23).

Nobre marido, qual foi a última vez que você honrou ou recompensou a sua mulher pelo trabalho a seu favor? Se você tem sido negligente e egoísta enquanto ela tem sido fiel e laboriosa, está na hora de confessar a sua falta a ela e devolver uma parte dos seus ganhos para o uso pessoal dela. Não permita que um espírito mesquinho ou orgulhoso roube o louvor ou a recompensa que ela merece. Você não perderá com esta decisão assim como o teu empregador não perde por lhe honrar ou recompensar!

Uma mulher virtuosa não procura o louvor de homens ou de mulheres. Autopromoção ou a busca da atenção pública é inteiramente contrária à sua natureza graciosa e modesta, que é a verdadeira razão pela qual os outros a estimam perpetuamente (Pv 11:16; 27:2). Ninguém senão um tolo admira um fanfarrão. Todavia é o dever do marido e dos filhos promoverem suas esposas e mães por reconhecimento merecido e o santo exemplo que eles dão aos outros (Pv 31:28).

O Senhor do céu louva a Sua igreja e os Seus santos, quando praticam o bem; e as suas obras os acompanham àquele glorioso lugar por Seu gracioso desígnio, onde receberão a recompensa pelos seus trabalhos (Ap 14:13; 22:12; ITm 5:25; Hb 11:26; Mt 25:40; IIJo 1:8).