Provérbios 31:12

Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida.

Play Audio

Temos aqui uma mulher virtuosa! Aqui está a mulher perfeita que uma mãe descreve ao seu filho o rei para ajudá-lo a escolher uma esposa perfeita (Pv 31:1). Ela trata bem o seu marido a cada dia da sua vida. Ela nunca o prejudica. Ela dedica a sua vida para sempre fazer o bem a ele.

A mulher virtuosa conhece os seus objetivos na vida, que é o alicerce de suas atitudes e ações. Ela sabe que foi criada para ser a auxiliar do seu marido, mesmo antes de haver pecado no mundo (Gn 2:18). Ela sabe que foi feita para ele e não ele para ela (ICo 11:9). Ela encara a vida diariamente com a intenção de ser uma boa esposa para o seu marido.

Considerando o contexto deste provérbio, descobrimos uma descrição da segura confiança do seu marido nela (Pv 31:11). O marido de uma mulher virtuosa pode confiar sempre em sua mulher, porque ele sabe que ela sempre faz aquilo que é bom e correto para com ele. Ele não precisa se preocupar nunca a respeito de obter nada inferior ao melhor que ela pode oferecer seja em público ou em particular. Ele confia totalmente nela.

O contexto a seguir a descreve como sendo uma mulher muito industriosa, econômica, eficiente e produtiva. Ela não só equilibra os deveres domésticos e os interesses financeiros, como também ela excede nas duas áreas! Seu marido e os seus filhos a louvam no ambiente doméstico (Pv 31:28), e ela é altamente produtiva com o seu próprio trabalho que a valoriza (Pv 31:31). Ela se excede a todas as mulheres (Pv 31:29)!

De que forma um mulher vive a vida perfeita de uma mulher virtuosa? Um dia de cada vez! A cada dia a mulher precisa lembrar-se dos seus propósitos, se aplicar totalmente aos seus objetivos e corrigir rapidamente qualquer erro. Uma vida bem sucedida é uma sucessão de dias bem sucedidas. A mulher que obedecer este provérbio hoje e fizer o mesmo amanhã, será a mulher virtuosa.

A mulher virtuosa é descrita por ações - ela faz bem a ele; ela não lhe faz mal. Continuar casada não é nada; ela não fez nada digno de louvor. Pensar ou falar bem do marido dela também não é nada; ela deve fazer aquilo que ele deseja e necessita. A mulher virtuosa é ativa servindo ao seu marido.

Ele trabalha de livre e espontânea vontade em trabalhos manuais (Pv 31:13). Ela evita atalhos insensatos (Pv 13:14). Ela não dorme até tarde, mas levanta cedo (Pv 31:15). Ela é financeiramente criativa para destacar a riqueza da família (Pv 31:16). Ela se empenha com esforço intenso (Pv 31:17). Ela confiadamente fica acordada até tarde da noite para terminar os seus serviços (Pv 31:18). Ela fará com alegria confecções a partir do zero (Pv 31:19).

Ela utiliza o seu tempo livre para ajudar os pobres (Pv 31:20). A sua família se veste adequadamente (Pv 31:21). Ela toma cuidado para estar sempre apresentável (Pv 31:22). A sua reputação honra ao seu marido (Pv 31:23). Ela inicia um empreendimento para contribuir com a renda do lar (Pv 31:24). Ela trabalha bastante e faz o que é certo (Pv 31:25). Ela só fala com bondade e sabedoria (Pv 31:26). Ela faz tudo que a sua família precisa (Pv 31:27).

Romanticamente a mulher virtuosa faz bem para o seu marido. Ela nunca o defrauda em matéria de sexo um dia sequer na sua vida. Ela conhece a regra inspirada para satisfazê-lo de todas as formas (ICo 7:1-5). E ela ama os Cantares de Salomão como fonte de inspiração. Ela sabe que a verdadeira prática de sexo inclui a sua alma e a sua reação, não se limitando à submissão; à sua criatividade, não só à sua disponibilidade.

Ela lhe fará bem verbalmente, usando as suas palavras para louvá-lo e o reverenciar (Ef 5:33; IPe 3:6). Ela não vai brigar, reclamar, questionar ou choramingar (Pv 19:13; 21:9,19; 27:15). Ela usa de palavras afetuosas e bondosas para construir a alma dele e dar conforto ao seu coração. Ela não faz sugestões desnecessárias, nem fará perguntas e não o perturbará de outras formas.

Ela lhe fará bem financeiramente ao trabalhar de boa vontade e buscar oportunidades para ganhar mais e gastar menos. Ela vai valorizar o dinheiro dele. Ela não vai fazer desperdício, comprar insensatamente, não reclamará a respeito de poupança ou economias no orçamento doméstico. Ela permitira alegremente que o seu marido gaste consigo mesmo. Ela não vai relutar em lhe conceder o direito de uso do dinheiro dele.

Ela fará bem para ele em relação às crianças ao louvá-lo a eles e apoiar as suas decisões com um assentimento alegre. Ela jamais questiona a sua autoridade ou se opões aos seus padrões de disciplina piedosa. Ela cria uma frente unida que edifica o casamento e frustra crianças rebeldes. Ela faz do pai o objeto do amor deles (Pv 17:6).

Ela fará bem a ele na questão do seu vestir, vestindo-se de maneira mais atraente e modesta possível de forma a ser a jóia e o prêmio dele. Ela não permitirá que a sua aparência se decline sem lutar! Ela se recusa a ser desmazelada, seja pela idade, seja pelos efeitos da maternidade. Ela nunca se vestirá para ser observada ou elogiada por outros homens. Ela só se preocupa com a atenção do olhar de um único homem.

Ela lhe fará bem com um espírito alegre e cordato, mesmo quando ele quer que ela faça algo que a desgosta (Ef 5:22-24; Cl 3:18). Ela não reclamará, não fará cara feia, não se arrastará nem se oporá de outra forma a ninguém e muito menos ao seu marido. Ela sabe que a submissão só pode ser praticada quando o seu marido lhe pede para fazer algo que ela não quer fazer.

Ela lhe fará bem ao louvá-lo a outros, especialmente para a família dela, suas amizades e às crianças. Ela não reclamará ou criticará o seu marido, a não ser para conselheiros em questões de justiça. Ela se concentra em suas próprias deficiências e faltas, ao invés de colecionar e divulgar as dele. Ela se ocupa da sua própria trave ao invés do cisco no olho ele (Mt 7:1-5).

Ela não fantasiará a respeito de outros homens nem flertará para atrair a atenção. Ela não lerá novelas românticas nem assistirá novelas ou filmes pelo prazer indireto com outros homens. Ela nunca se aproximaria de um abraço de outro homem, nem mesmo aceitaria quaisquer aparências afins.

A mulher virtuosa não negligencia a adoração e o servir a seu marido devido à meia idade ou à velhice. Ela anseia pelos dias em que as crianças saiam de casa para que ela tenha mais tempo com o seu homem. Ela rejeita qualquer noção de que sexo termina aos 50, 70 ou até mesmo 90 anos! Ela tem disposição para tudo que o marido deseja tentar fazer e talvez mais ainda! Ela não deixa que o casamento envelheça!

Ela também não se desculpa, de forma alguma, com relação aos seus deveres, só porque descobriu as faltas dele. Ela sabe que as faltas dele não afetam a mulher virtuosa, de forma alguma. Ela o trata bem apesar das faltas, pois ela sabe que é este modo de conduta que agrada verdadeiramente ao Senhor (IPe 2:18-23). E ela sabe que ela tem tantas faltas, ou mais, do que as dele para corrigir durante o resto de sua vida. Ela também sabe que a soberania de Deus escolheu o marido para ela antes dela nascer e só para ela.

Ela será sensível às suas necessidades e estará sempre presente com um serviço prestativo ao invés de diminuí-lo diante dela, dos outros e dele mesmo. Ela aprenderá o seu temperamento e as preocupações da sua alma para confortá-lo ao invés de desprezá-lo, implicar com ele ou criticá-lo. Ela fará bem para ele mesmo quando ele está desanimado ou deprimido.

Ela será criativa e demonstrará iniciativa em tudo que possa fazê-lo feliz. Ela usará cada refeição como um momento de alegria e honra ao seu marido diante da família e dos amigos. Ela fará tudo para animar o seu espírito e encorajá-lo em seus trabalhos e problemas. Suas refeições serão momentos agradáveis de paz e prazer para rejuvenescê-lo de corpo e de alma.

Ela nunca usará de silêncio para puni-lo. Ela rejeita qualquer pensamento de uma guerra fria com o seu marido. Ela nunca usaria de lágrimas para confundi-lo ou puni-lo. Ela faz todo o possível para tornar o seu trabalho de marido o mais fácil possível. Ela quer sempre se desculpar primeira, do que esperar que ele o faça. Ela não acredita que o distanciar torna o coração mais sensível.

Ela vai procurar trabalhar mais do que o seu marido, rejeitando a noção vitoriana do ócio das mulheres que dormem até tarde, vão às compras por esporte, vestem conjunto de moletom, frequentam o clube de "bridge", tomam chá, jogam tênis, tagarelam no telefone e têm motoristas para as crianças (Ez 16:49). Ela conhece as características da mulher virtuosa no seu diligente trabalho dentro e fora de casa (Pv 31:13-27).

Ela nunca deixará que o trabalho ou as crianças possam competir com o seu marido. Ela sabe que em primeiro lugar foi feita para ser mulher e, em segundo lugar, mãe. Ela sempre se dedica mais ao seu marido do que aos seus filhos. E não importa o grau de sucesso em sua profissão isso jamais será mais importante do que o seu marido. Ela não deseja nada mais do que estar com o seu marido e fazer o que pode para agradá-lo.

A mulher virtuosa é boa, espiritualmente, para o seu marido. Ela apoia as suas atividades espirituais com o maior zelo que ela puder reunir. Ela coopera completamente com os devocionais familiares ou outras atividades religiosas. Ela não questiona, reclama, critica ou faz sugestões que possa, nem de longe, causar impacto no seu papel de professor da família. Ela despreza a Mical de Davi e crê que a punição aplicada foi perfeita (IISm 6:14-23)!

Esta grande mulher é uma coroa para o seu marido (Pv 12:4). Todos reconhecem que ele é muito abençoado, porque uma grande mulher não pode ser escondida (Pv 11:16; 31:23). Ela se conduz com muito cuidado, para não deixar que uma mosca caia no unguento e estrague a coroa do seu marido (Ec 10:1).

Uma mulher assim pode existir? Como é que se encontra essa mulher? Há um critério simples e raro, que nunca falha. Uma mulher que teme verdadeiramente o Senhor viverá a sua vida desta maneira, porque isto é o que ela pode ler do seu Senhor na Bíblia (Pv 31:30). Rapaz aprenda o temor do Senhor e exija isso totalmente de qualquer moça em quem você se arrisca em considerar.