Provérbios 31:4

Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte.

Play Audio

Seu escalão hierárquico determina o quanto você deve beber. O abençoado SENHOR aprova o uso moderado do vinho e da bebida forte, mas Ele condena rigorosamente a embriaguez; e Ele adverte todos os homens em posição de liderança para que tomem cuidado até mesmo o consumo que o aproxime da embriaguez. Governantes devem ter todas as suas faculdades alertas e vigilantes para exercer bem os seus cargos (Pv 31:5).

Estas palavras são conselho da rainha mãe ao seu filho. o rei Lemuel (Pv 31:1-2). Se o rei Lemuel é Salomão e a rainha mãe é Batseba, não tem como ser provado. Mas as palavras são inspiradas de Deus, e elas foram juntadas aos provérbios de Salomão, pelos conselhos que são dadas a respeito das tentações que os reis encaram - principalmente mulheres e vinho.

O vinho e a bebida forte são bons quando usados corretamente (Dt 14:26; Sl 104:14-15; Ec 10:19). A rainha mãe incluiu o uso apropriado deles em seus avisos (Pv 31:6,7). O vinho não é pior do que o alimento: o abuso de um é a embriaguez, e o abuso do outro é a glutonaria; e ambos são pecados à vista de Deus. A descontração e a alegria do uso moderado de vinho é uma dádiva de Deus para os homens (Jz 9:13). Seja Deus verdadeiro e todo homem um mentiroso!

Um bom rei deve governar correta e justamente em todo o tempo, portanto ele deve ter suas faculdades mentais sempre alertas (Pv 16:12; Lv 19:15; Dt 16:18-20; IISm 23:3). O vinho e a bebida forte, pelo seu conteúdo de álcool, relaxa o sistema nervoso central e pode danificar a memória, reduzir a habilidade de tomada de decisões, e nublar o julgamento moral ao entorpecer as inibições normais (Pv 23:33). Os governantes não podem se dar ao luxo disso acontecer e, por causa disto, eles têm limitações rígidas, maiores do que os demais homens.

O texto não condena aos reis todas as bebidas. Melquisedeque e Jesus, ambos grandes reis e sacerdotes, beberam vinho (Gn 14:18; Mt 11:19). O aviso é contra os reis beberem vinho e bebida forte com a mesma liberdade que os demais. Em razão dos seus deveres de governar, eles precisam praticar a maior moderação. Entenda o sentido das palavras!

Existem três níveis para beber vinho no Novo Testamento. Os membros da igreja poderiam desfrutar livremente do vinho, mas sem se embriagarem (Ef 5:18). Diáconos não deveriam ser dados a muito vinho, e aos bispos não deveriam ser dados ao vinho (ITm 3:3,8; Tt 1:7). As mulheres mais idosas, mestras das jovens mulheres, também lhes eram restrito como o era aos diáconos (Tt 2:3). A palavra "dados" significa que esses dirigentes não poderiam ser viciados ou tendenciosos às quantias especificadas.

Que todos os homens considerem seu nível hierárquico, e permita que ele governe o seu beber de forma adequada. Homens sábios, até simples maridos e pais, não podem permitir que o vinho comprometa seus exemplos e função no lar. Como santos devemos ser sóbrios e vigilantes, que cada homem tome conhecimento.