Provérbios 30:19

O caminho da águia no céu, o caminho da cobra na penha, o caminho do navio no meio do mar e o caminho do homem com uma virgem.

Play Audio

Existem quatro coisas especiais na terra que são maravilhosos e dignos de serem considerados. O profeta Agur se maravilhou com estas quatro coisas, conforme ele contou a dois alunos seus (Pv 30:1). Elas são muito impressionantes e misteriosas dentro de suas considerações (Pv 30:18). A lição a ser extraída é o glorioso plano de Deus em todas as quatro coisas, com ênfase na última, envolvendo homens e mulheres. E ele usou as quatro maravilhas para condenar a incrível audácia de uma adúltera (Pv 30:20).

O caminho da águia no ar é um glorioso mistério. Flutuando e deslizando nas correntes de ar quente, a águia consegue planar e circular majestosamente sem fazer quase movimento nenhum de suas asas de 2 metros (aprox.) de envergadura. Mergulhando em direção à terra para apanhar uma presa no ar. Na terra ou na água, ela consegue exceder a velocidade de 160 quilômetros por hora! O namoro das águias inclui algumas exibições espetaculares em que as aves se agarram nos pés uma da outra a uma grande altitude e mergulham em direção à terra, girando com as asas e pernas estendidas. Quem é que pode compreender os seus sábios desígnios?

O caminho da cobra sobre a rocha também é espantoso. A cobra não tem braços, pernas ou pés! Deslizando e se contorcendo através da grama ou da areia é uma coisa, e mesmo assim é um espetáculo a ser considerado, mas o que dizer quando isso se dá sobre uma rocha lisa? Onde ela consegue se impulsionar? Como ela pode prosseguir e subir numa superfície escorregadia sem pés ou mãos? Com raiva ou com medo, ela se move rápida e diretamente na direção do seu inimigo ou na direção contrária. Ela não usa apoio para os pés e não deixa rastos, mas se move eficientemente. Quem pode compreender os seus sábios desígnios?

O caminho de um navio no meio do mar também é extraordinário. Um barco à vela não tem hélice, remos ou qualquer outro meio de propulsão, mas ele corta a água facilmente. O seu tamanho é dirigido por um leme e um timão muito pequeno. Ele não deixe nenhum caminho aberto a ser seguido a não ser uma leve perturbação na água; ele pode navegar no meio da maioria das tempestades sem virar; e ele pode cruzar vastas distâncias no meio das águas sem nenhuma placa ou pontos de referência indicando o porto desejado. E é o ar que está à sua frente que o move, não o ar atrás de suas velas! Quem pode entender os seus sábios desígnios?

O caminho de um homem com uma virgem é maravilhoso e misterioso. Uma jovem virgem - moça - está bem protegida durante 12 a 20 anos. Ela consegue ficar satisfeita com as obrigações diárias, escola, emprego, passatempos, natureza, amizades e família. O amor e o sexo raramente a perturbam. Mas considere a mudança que ocorre quando um homem a encanta! Com atenção, palavras e promessas ele acende uma reação fogosa nunca visto antes. Alguns abraços e beijos, e ela fica emocionalmente e fisicamente obcecada, disposta e lhe dar qualquer coisa ou tudo. Ela entusiasticamente deixará tudo para segui-lo, sem medo, mesmo quando avisada. Quem pode discernir este sábio propósito?

Já que Agur descreveu estas quatro coisas no nosso provérbio como sendo maravilhosos e insondáveis (Pv 30:18), não há necessidade nem razão para condenarmos a quarta coisa - conquistando uma jovem. Todo homem casado está agradecido por ter conseguido a sua jovem para se casar! E a maioria dos casais casados lembra carinhosamente o prazer apaixonado do seu precoce amor e precoce sexo!

Já foi dito que, se os rapazes ficassem satisfeitos em serem amistosos como as mulheres o são, Adão e Eva ainda seriam o único casal sobre a face da terra, platonicamente segurando as mãos e admirando os fofinhos animais do lado de fora do Éden! Obrigado, Senhor, pela beleza e a glória do romance! Obrigado pelo amor, o casamento e o sexo! Muito obrigado pelo sábio desígnio da quarta coisa!

A "química" que ocorre entre o homem e a jovem é gloriosa. A reação emocional e sexual é maravilhosa. O amor e a prática do amor descrita por Salomão em seu Cantares é poesia linda e apaixonada e um bom manual para casais. Romance é a base para a iniciação da maioria dos casamentos, e é uma prática que deveria ser mantida por todos os casamentos.

Há lições a serem extraídas da quarta coisa. Primeira, todo marido deve continuar a conquistar a sua esposa como fazia no começo. Deus exige um ano de dedicação a esta tarefa (Dt 24:5)! Se um casamento é romanticamente morno, a culpa é do marido. Qualquer homem pode conquistar qualquer mulher, pois isto é a quarta maravilha. Se um marido enfadado ficar solteiro, ele não precisaria tomar lições a respeito de conquistar e oferecer uma refeição a uma jovem! Portanto, o Senhor espera que os homens continuem a ganhar as suas esposas (Pv 5:19; Ec 9:9; ICo 7:2-5; Ef 5:25-29; Cl 3:19).

A segunda lição, o pai deve proteger a sua filha da sedução. Ao invés de achar que elas estão fazendo alguma coisa contrária à natureza, ele não deverá expô-la a situações em que a sedução possa ocorrer. Diná, a filha de Léia, deveria ter sido mais bem protegida (Gn 34:1-5). Jacó e os seus irmãos não enviaram uma acompanhante com ela e um canaanita pagão a seduziu. O pai dirige a filha durante a sua infância (Pv 5:7-13; 22:6,15; Nm 30:3-5), e é o seu dever preservar a sua virgindade a aprovar os seus namorados (Dt 22:14-17; Êx 22:16-17).

A terceira lição, toda mulher deve se guardar de ser seduzida. Ela deve evitar as conversas e atividades com outros homens. Se ela precisar trabalhar fora do lar com outros homens, ele deve tomar muito cuidado.

A quarta lição é uma maravilha, pois ela é muito vulnerável. Que toda mulher seja casta, modesta e uma guardiã em casa (Pv 7:11; Tt 2:3-5; IPe 3:1-6).

Maridos devem proteger as suas mulheres de todos os tipos de homens. Se Adão tivesse sido um marido melhor, ele teria protegido a Eva das palavras de Satanás (IICo 11:3; ITm 2:13-14). Ambos devem reconhecer a sua fraqueza por falsos mestres que se introduzem em casas (IITm 3:6-7).

Admire a águia; respeite a cobra; aprecie a navegação; e considere o romance emocional e sexual. Deus fez tudo, maravilhosamente, em seu devido tempo e lugar, mas os homens buscaram invenções mundanas e abusam das mesmas (Ec 3:1-11; 7:29).

Louvado seja o Seu glorioso nome! O Filho do Homem veio conquistar uma jovem de um mundo de pecado para ser a sua casta e santa noiva (Jr 31:3; Os 11:4)! Não há quem resista o Seu poder de atração e Ele não falhará com uma sequer (Jo 6:37-39)! Seus ministros vivem diariamente em santo ciúme para apresentá-los praticamente como virgens castas a Jesus Cristo (IICo 11:1-4).