Provérbios 29:3

O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça a fazenda.

Play Audio

Filhos podem realizar ou quebrar os pais. Um filho amoroso traz grande alegria aos seus pais. Um filho insensato amigo de prostitutas aflige seus corações, que assistem o seu estilo de vida destruidor.

Este provérbio merece a sua especial atenção. Há muito mais aqui do que só uma observação de Salomão. Há uma lição e uma advertência tanto para os pais como para os filhos.

Pais deveriam temer este desapontamento doloroso e grande desperdício de suas vidas. Eles deveriam realizar sóbria e fielmente os seus deveres e entregar os seus filhos ao Senhor, orar pelos seus filhos, para serem exemplos de vida piedosa, e nunca descuidar dos métodos bíblicos para o treinamento deles.

Filhos deveriam considerar o terror não mencionado neste provérbio. Mas no restante dos provérbios de Salomão e da Bíblia, Deus claramente adverte da destruição horrível que virá sobre os filhos que entristecem seus pais (Pv 20:20; 30:11,17; Dt 27:16; Ef 6:2-3; ITm 5:8).

A informação de que os filhos afetam os pais - trazendo alegria ou tristeza a eles - tem sido repetido em outros provérbios (Pv 10:1; 15:20; 17:21,25; 19:13; 23:15-28; 27:11; 28:7). Mas há detalhes dados neste provérbio que amplia a lição para o seu aprendizado.

Como em muitos provérbios, há duas sentenças que devem ser comparadas e contrastadas, cuidadosa e completamente, em todos os seus detalhes. Uma leitura apressada sem a devida consideração custará ao leitor a perda da lição completa e o aviso que Deus deu a Salomão.

O filho que agrada a seu pai ama a sabedoria, é sexualmente puro, e financeiramente prudente. Estas três coisas estão intencionadas, apesar de duas delas não estarem mencionadas, em se lendo a segunda sentença. O filho que odeia a sabedoria passa seu tempo com prostitutas, e é um perdulário que entristece o seu pai, onde odiar a sabedoria e entristecendo o seu pai é entendido quando se lê a primeira sentença.

Um filho que ama a sabedoria é um príncipe. Amar a sabedoria é o ponto mais alto que a barra (salto com vara) pode ir - isto comprova um filho nobre e traz o favor de Deus em sua vida (Pv 8:17,21; Ec 12:1). A sabedoria é a coisa principal, e é o objetivo principal de um homem de bem (Pv 4:7; 16:16; Ec 7:12). Se um pai deseja saber o que se passa no coração do seu filho, ele só precisa medir o amor dele pela sabedoria.

O que é sabedoria? É o poder do justo julgamento, incluindo o conhecimento de que as coisas celestiais eternas excedem em muito as coisas temporais desta vida. O que é o amor à sabedoria? É o zelo agressivo de sacrificar as coisas desta vida tão estimada pelos outros de forma a obter coisas melhores da vida por vir desprezada pelos outros (Pv 18:1; Hb 11:24-26).

O que é sabedoria? É um temor de Deus independente, ativo e zeloso; (Pv 1:7; 9:10; 23:17). É o odiar o mal (Pv 8:13; 16:16; Sl 97:10; 119:128). É o estudar a palavra de Deus (Sl 19:17-11; 1:1; 119:11; IITm 2:15). É o amor a Cristo, o Homem da sabedoria (IICo 5:14-17; Cl 2:3). É o odiar homens néscios e maus (Pv 13:20; 29:27; Sl 15:4; 101:3; ICo 15:33).

A sabedoria de um homem jovem resultará numa abordagem disciplinada e temperada ao sexo e ao casamento. Ele será virgem quando se casar; ele só casará com alguém no Senhor; ele aguardará a aprovação do seu pai; ele será fiel a uma esposa por toda a vida. Ele odeia mulheres insensatas e prostituidas, e as evitará com muito cuidado (Pv 2:16-19; 5:8-13; 6:20-26; 7:1-5).

Ele trabalhará muito, dará liberalmente, economizará com frugalidade, evitará dívidas, e formará seu patrimônio com um olho prudente no futuro. A sabedoria inclui o entendimento financeiro, apesar de que em si mesmo não é nada diferente da formiga e do esquilo. Mas somado ao temor do Senhor, homens fortes retêm riquezas (Pv 11:16). Ele sobe a escada profissional por métodos piedosos (Pv 22:11,29).

Pais, regozijem-se com uma vida assim, sabendo que Deus é glorificado, o reino dos céus é servido, e as suas árvore genealógicas estão em boas mãos. Eles se regozijam no coração; eles o louvam; eles compartilham suas alegrias. Eles vivem com confiança com a vida dele os defendendo (Pv 27:11; Sl 127:5). Com gratidão se aproximam da saída desta vida, sabendo que deixaram um legado piedoso.

Por outro lado, pais estão abatidos de tristeza e culpa - uma calamidade de dor e vergonha para eles (Pv 17:25; 19:13; 29:15,17). O insensato que criaram e formaram odeia a sabedoria, ama a tolice, se rebela contra a autoridade, se cerca de prostitutas e dos que se prostituem, e desperdiça o seu sustento e o dos outros. Ele é uma vergonha para os seus pais e um fedor para os outros. Ele quebra os corações dos seus pais.

Este jovem rejeita a instrução e zomba dos que tentam instruí-lo. Ele lascivamente aborda a vida, pensando que pode escolher os seus amigos, incluindo as suas namoradas, e vive da maneira que quiser. Ele não se importa com a dor e a vergonha que traz aos seus pais, pois ele não consegue pensar além da sua vida inútil. Ele não teme a Deus, e zomba daqueles que temem. Ele é um insensato.

O tolo prova a sua ignorância agindo como amigo de prostitutas, não fazendo caso do seu Q.I., o que não aconteceria com um homem sábio (Pv 7:7). Um pecado leva a outros, neste caso específico existem problemas financeiros, porque prostitutas buscam o dinheiro do homem (Pv 5:10; Lc 15:30). Se prostitutas podem matar reis, elas certamente destruirão esse simplório ignorante (Pv 31:3). Ele gasta os seus bens e amaldiçoa a sua alma.

Considere Esaú. Ele causou tristeza aos seus pais. Ele entristeceu a Isaque e a Rebeca casando-se com uma garota hitita (Gn 26:34-35), e por isso enviaram Jacó para o seu país de origem para conseguir uma mulher que temesse a Deus.

Ao buscar o seu destino, ele prometeu dar a Deus 10% de tudo que Deus lhe desse (Gn 28:20-22). Mas o que fez o insensato Esaú? Ele desejava agradar aos seus pais com os seus caminhos perversos? Ele se casou com uma ismaelita (Gn 28:6-9)! Impressionante ignorância e tolice!

Pais conseguem classificar seus filhos por sabedoria, temperança sexual, e disciplina financeira, o que deveria ser a razão de ser de crianças. Eles deveriam entender que poderiam crescer na aprovação de Deus e dos seus pais ao serem sábios. Filhos, não permita que nada os impeça de amar a sabedoria, de ter integridade sexual e fidelidade matrimonial, e prudência financeira (Pv 23:15-28).

Um Filho deu alegria perfeita a Seu Pai - Jesus Cristo (Mt 3:7; 12:18; 17:5). Ele amava perfeitamente a sabedoria e a obedeceu durante toda a sua vida (Is 11:1-5). Ele só tratou com prostitutas para exigir delas o arrependimento, o que Ele conseguiu com grande sucesso (Mt 21:28-32; Lc 7:36-50). Ele também exigia a integridade financeira de amigos e inimigos (Lc 21:1-4; Jo 2:13-17). Que Ele seja o seu exemplo e ambição em como agradar a seu Pai celestial.