Provérbios 28:22

Aquele que tem um olho mau corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a pobreza.

Play Audio

A ganância deturpará a sua visão. Você verá tentações que outros homens não veem, e você olhará tudo como sendo uma forma de ganho. Correr atrás da riqueza já é suficiente tolice, mas persegui-las apressadamente é uma receita para desastre. Ambição, cobiça e ganância são os ingredientes da ruína financeira (Pv 28:20; ITm 6:7-10). Um homem sábio fica contente com os seus salários e permite que Deus o enriqueça; ele não vai perseguir a maldita e esquiva riqueza, nem vagarosa nem apressadamente.

A pressa de ficar rico é a avidez impaciente de uma pessoa por adquirir cada vez mais. Ele fica frustrado por um emprego normal e descontente com salários normais. Ele acredita que merece o melhor; ele tem inveja dos homens bem sucedidos; ele cobiça aquilo que eles têm; ele acredita que os outros são seus devedores: ele permite pensamentos sensuais. Esta avidez de ganho distorce a sua visão. Ele avalia os outros pelo quanto que ele pode lucrar com eles ao invés do quanto ele ganharia por serviços prestados a eles.

O coração e os olhos deles estão obcecados em progredir financeiramente. Ele está constantemente pensando de que forma ele pode extrair mais dinheiro de cada transação. Ele quer comprar por valor inferior ao mercado e quer vender acima do valor de mercado. Ele não gosta de qualquer atividade que não compense. Ele odeia fazer caridade, mas ele ama recebê-la. Em todos os seus pensamentos a respeito de dinheiro, ele faz vista grossa a uma grande consideração - Deus e os homens bons levarão esse miserável ganancioso à pobreza.

Ganância por ganhos corrompe a visão da vida de um homem. Ele é pão duro ao dar. Ele é ingrato ao receber. Ele é arrogante nas transações. Ele mede os relacionamentos financeiramente. Ele rouba da sua família. Trabalha demais. Paga mal. Se ressente de impostos. Considera receber subornos. Ele fica enraivecido pelos atos de Deus que lhe trazem prejuízo. Ele é facilmente enganado por esquemas de rápido enriquecimento. Ele despreza a paciente poupança. Ele inveja os bem sucedidos. Ele é infeliz.

Mas um homem sábio espalha o seu dinheiro, sabendo que isso conduz à prosperidade; ele sabe que o pensamento mesquinho conduz ao empobrecimento e ao ressentimento (Pv 11:24-26). Um homem sábio leva em consideração os pobres e é rápido para doar (Pv 19:17; Sl 41:1). Ele sabe que o pouco com o temor do Senhor, a paz e a justiça é melhor do que a riqueza sem estas coisas (Pv 15:16-17; 16:8; 17:1; 28:6; Sl 37:16). Homens generosos têm bons olhos - eles enxergam corretamente as prioridades da vida (Pv 22:9).

Cobradores de impostos e soldados de ocupação frequentemente têm maus olhos - fazendo uso das suas funções por ganância, mas João Batista ensinou a contabilidade precisa e o contentamento com os salários (Lc 3:12-14).

Heréticos, como os gurus das mega igrejas de hoje, alegam que ganhos são sinais de santidade; mas eles serão rejeitados pela doutrina pura de Jesus Cristo - a santidade com o contentamento é grande ganho (ITm 6:3-10). Os homens sábios desprezam riquezas e de boa vontade dão a outros (ITm 6:17-19).