Provérbios 27:9

O óleo e o perfume alegram o coração; assim a doença do amigo, com o conselho cordial.

Play Audio

O aroma, o odor ou a fragrância de uma boa água de colônia ou de um perfume rapidamente traz um profundo prazer à sua alma através dos nervos olfatórios (Pv 7:17; Sl 45:7-8; Ct 1:3; 3:6; 4:10). O cheiro é um poderoso sentido. O efeito é imediato e poderoso. Da mesma maneira um amigo bom e honesto pode elevar o seu espírito e causar grande prazer pela sinceridade e pelo conselho proveitoso. Esta é uma observação de Salomão. Você tem este tipo de amigos? Você é um amigo assim?

O homem por natureza é egoísta e a maioria dos amigos buscam suas próprias agendas e interesses em suas relações com você (IITm 3:1-2; Tt 3:3). Eles não dizem isto abertamente para você, mas eles falam mais a respeito de si mesmos do que inquirindo a seu respeito. Eles o amam pelos seus ouvidos! Sua fala é egocêntrica, superficial e sem valor tangível para a sua alma. Eles comem com você, brincam com você, e o adulam; mas, na verdade, eles não servem a você para o seu próprio bem.

A maior parte dos amigos não é mais do que apenas conhecidos. Eles falam a respeito das circunstâncias deles, e eles podem até indagar a respeito e ouvir das suas. Eles lhe enviam um cartão de aniversário e de um dia especial do ano e você corresponde da mesma forma para com eles. Eles levam em consideração a bajulação mútua e seu companheirismo quando precisam de doçura, mas não sabem nada da doçura descrita neste provérbio. Se você perde a sua saúde, posição ou riqueza, eles não são tão amigos; eles podem até desaparecer (Pv 14:20; 19:4,7; Sl 38:11).

Grandes amigos fazem muito mais (Pv 17:17; 18:24; ISm 18:3; 20:17). Eles estão mais interessados nos teus interesses do que nos prazeres deles, no teu aperfeiçoamento do que na paz deles. Eles entendem o verdadeiro amor - o desejo sacrificial pela tua prosperidade de alma e corpo. Os momentos difíceis não os afastam de você; os tempos difíceis os aproximam de você: eles sabem que podem desenvolver um grande papel e ajudá-lo mais nesses momentos difíceis do que nos de sucesso.

O que é um conselho sincero? É um conselho que procede do coração - genuíno, sincero e afetuoso. É um conselho repleto de boa vontade e bondosos sentimentos, uma calorosa afeição e sentimentos de amizade. É o oposto da conversa superficial, brincadeiras tolas, discussões egoístas ou ímpias bajulações. É mais do que um aviso e instrução, não importa quão verdadeiro e valioso é. O entendimento solidário é um bálsamo para a alma (Rm 12:15; Jó 2:11-12; 42:11).

De que maneira é doce? Ela é rara, consoladora e incitante à alma. Ela move o espírito com confiança, boa vontade, esperança, alegria e agradecimento. Da mesma forma que o odor pode mexer com o corpo, o conselho sincero acelera agradavelmente a alma. Os prazeres são melhores quando compartilhados, mas as tristezas têm que ser compartilhadas (Ec 4:9-12). A maioria mede amizade como sendo doce, dependendo daquilo que podem extrair de um relacionamento. Mas isto não é verdade com amigos piedosos (Mt 7:12; At 20:35).

Jônatas e Davi foram os maiores amigos na Bíblia. Eles se encontraram depois que Davi matou Golias e se tornou um herói de Israel. Apesar de ser o herdeiro aparente ao trono de Israel, Jônatas amou Davi pela sua coragem, generosidade e piedade. Enquanto que outros homens teriam invejado e odiado Davi, Jônatas o amou como se fosse a sua própria alma (ISm 18:1-3). A afeição e lealdade eram tão fervorosas que Jônatas empenhou a sua vida e o seu serviço a Davi, e Davi empenhou a sua proteção à família dele (ISm 18:4; 19:1-2; 20:9-17).

Quando fugia do rei Saul pela sua vida, Davi frequentemente se escondia em locais escuros por questão de segurança. Jônatas, mesmo sendo o filho do rei e herdeiro do trono (ISm 20:30-31), sendo ele mesmo um homem de grande valor (ISm 14:1-17), entrou na floresta e animou a Davi no Senhor (ISm 23:16). Jônatas lembrou a Davi a fidelidade de Deus e prometeu a sua própria. Ele ergueu Davi de um desânimo espiritual e de coração o consolou. Quão doce foi aquela amizade e conselho para ambos naquele dia na floresta!

Considere o conselho que Jônatas deu a Davi (ISm 23:17). Em primeiro lugar ele afirmou que não havia razão para ele temer a seu pai; Deus o livraria (Sl 27:1-14). Em segundo lugar ele disse que Davi seria o próximo rei, porque Deus guardaria a Sua promessa (ISm 16:13). Em terceiro lugar, ele se submeteu com humildade à escolha de Davi por Deus e prometeu sua dedicação e serviço (ISm 17:17). Em quarto lugar ele disse a Davi que o rei Saul sabia da sua escolha por Davi acima de si mesmo (ISm 20:30-31)!

Essa amizade e conselho eram doces a Davi? A resposta é clara (ISm 23:18). Eles, juntos, fizeram uma aliança diante do SENHOR. Jônatas prometeu sua lealdade e serviço a Davi acima do seu pai e o trono de Israel; Davi prometeu a Jônatas sua posição desejada e o cuidado perpétuo de sua família. Quão doce foi a amizade e conselho para Davi! Ele considerou o amor de Jônatas como sendo maior do que o amor por qualquer uma de suas mulheres (IISm 1:26).

Jônatas não foi o único amigo de Davi. Um homem virtuoso como ele teria muitos amigos. Considere Itai o geteu (IISm 15:16-23). Considere Jeú e Jonadabe depurando de Israel toda adoração a Baal (IIRs 10:15-28). Você sabe de Paulo e Timóteo e o estabelecimento das igrejas do Novo Testamento entre os gentios (At 16:1-3; Fp 2:19-22; IITm 1:1-5)?

Você já leu a respeito de Áqüila e Priscila e a amorosa orientação dada a Apolo (At 18:24-28)? André foi um verdadeiro amigo de Pedro (Jo 1:40-42), e Filipe de Natanael (Jo 1:43-51). O que dizer de Rute e de Noemi (Rt 1:16-17; 3:1-5; 4:13-17), e de Lucas e Teófilo (Lc 1:1-4; At 1:1)? E de Maria, Marta, Lázaro e Jesus (Lc 10:38-42; Jo 11:1-46)? E não podemos esquecer o conselho sincero que Jetro deu a Moisés (Êx 18:1-23).

Conselho sincero inclui repreensões e advertências. Davi escreveu, "Fira-me o justo, será isso uma benignidade; e repreenda-me, será um excelente óleo, que a minha cabeça não rejeitará; porque continuarei a orar a despeito das maldades deles." (Sl 141:5). Bondosa correção por uma pessoa que deseja sua perfeição é uma amizade doce e verdadeira. Ao contrário das noções do mundo, o verdadeiro amor corrige o pecado (Lv 19:17). Homens piedosos desejam os ferimentos de um amigo mais do que beijos de um inimigo, e repreensão franca é melhor do que o amor em segredo (Pv 27:5-6).

Davi tinha muitas mulheres, mas ele tinha apenas uma grande amiga entre elas. Quem era ela? Não foi o seu primeiro amor, Mical, pois ela desprezou o seu amor intenso por Deus e por Sua adoração (IISm 6:20-23). Não foi Bate-Seba, a mãe de Salomão, pois ela participou do terrível pecado de adultério com ele (IISm 11:1-5). Foi Abigail, que em sinceridade de coração o advertiu para não arruinar a sua reputação com o assassinato do seu marido maligno (ISm 25:1-44). Quão doce foi esse conselho? Ele a abençoou e casou-se com ela tão logo ela estava disponível!

Onde podemos encontrar tais amigos? Eles são muito raros, mas são encontrados entre os santos do Senhor Jesus Cristo, que aprenderam a verdadeira sabedoria de seu Senhor e Mestre (Jo 13:34-35; 15:11-17). Estes santos estão nas verdadeiras igrejas de Jesus Cristo, onde o Espírito Santo e a Palavra de Deus têm moldado os corações dos homens para serem os amigos que se sacrificam, que lhe servem e são sensíveis e simpáticos como este provérbio os descreve (Fp 1:3-5). Afinal de contas, o sangue e a doutrina de Jesus Cristo é o laço mais forte dentre todos os homens.

Como você aprende tais amizades? Pelo temor do Senhor, o amor de Jesus Cristo, o andar no Espirito Santo e a prática de I Coríntios 13:4-7! São estes ingredientes e só estes que podem torná-lo o amigo que alegra o coração deste provérbio. Não há atalhos. Negligencie só um desses fatores e você será um vão amigo (Pv 18:24). Você tem a habilidade de se relacionar com outros homens (Pv 27:19), e você tem de usá-la para melhorá-los (Pv 27:17).

Não há lugar para egoísmo, autodefesa, ou promoção pessoal na verdadeira amizade. Você deve estar disposto a se expor ao seu amigo para poder ajudá-lo. De que outra forma você pode consolá-lo quando ele está com problemas, "... com a consolação com que nós mesmos somos consolados de Deus." (IICo 1:4)? O apóstolo deu as seguintes instruções, "Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos." (Tg 5:16). Você pode desenvolver o coração de um verdadeiro amigo?

Quão importantes são esses tipos de amigos? Eles devem ser apreciados e protegidos acima dos próprios membros de sua família (Pv 27:10). Grande esforço deve ser feito para evitar ofensas (Pv 18:19). Salomão manteve a companhia de Hirão como um bom amigo que sempre tinha sido um que amava a Davi (IRs 5:1-18). Mas o tolo Roboão abandonou os amigos do seu pai Salomão pelos seus próprios companheiros ignorantes e perdeu a maior parte do reino ao seu inimigo (IRs 12:1-20).

Caro leitor, você acrescentará o cheiro suave de uma verdadeira amizade a este mundo vil? Ou você acrescentará o seu próprio mau cheiro à insensibilidade egoísta? Você fará o seu caminho até a casa de Deus e encontrará essa comunhão da alma entre os santos de Deus? Se na sua igreja falta este tipo de amizade, então mostre a eles como deve ser feito! E reconheça aqueles que agem assim com você! Não existe amigo como Jesus Cristo, portanto, comece cultivando o seu relacionamento com Ele.