Provérbios 24:6

Com medidas de prudência farás a guerra; na multidão de conselheiros está a vitória.

Play Audio

A guerra é uma coisa séria! Perdê-la traz enormes consequências; até mesmo a vitória pode custar demais. Raiva, medo, orgulho, opinião pública e vingança, tudo combina para tornar difícil o processo de decisão. Salomão avisou que decisões precisam de sábios conselhos, e muitos! A regra é a seguinte para homens fortes e conhecedores, que desejam progredir à vista de Deus e dos homens (Pv 24:5).

O livro de Provérbios foi escrito por Salomão, "para dar aos simples prudência e aos jovens, conhecimento e bom siso." (Pv 1:4). Deus inspirou as Escrituras e os deu a Seus filhos para torná-los sábios na terra (Dt 4:6). Se você quiser evitar as ciladas da vida, obter uma grande medida de sucesso e ser estimado pelos outros por sua sabedoria, obedeça esta regra.

Homens jovens são impulsivos e cabeçudos. Apesar de distarem apenas poucos anos das fraldas e dos chocalhos, eles acreditam que sabem muito e querem brigar. A juventude presume invencibilidade. Roboão, o filho de Salomão, conhecia este provérbio, mas seguiu os conselhos dos amigos jovens e perdeu dez das doze tribos de Israel (IRs 12:1-19).

Os homens velhos conhecem o que é melhor. Considere os conflitos entre os almirantes e comandantes das frotas da marinha imperial japonesa antes e depois de Pearl Harbor e da Batalha de Midway. O sábio conselho é força!

Este provérbio de hoje contém duas partes - conselhos sábios e muitos deles! Não é qualquer recomendação que vai resolver. Você precisa consultar homens sábios, o que significa que você consulta homens mais idosos tementes a Deus, cautelosos, experientes, sérios e bem sucedidos. Não é prudente consultar jovens amigos agressivos, ambiciosos e tolos. Os pensamentos deles sobre quaisquer assuntos não valem nada. Vá falar com os homens de quem você tem medo que vão detonar os seus planos! É vergonhoso que você já saiba que está errado!

E pedir a um ou dois homens sábios não é o suficiente. O provérbio de hoje ensina que a sabedoria está numa multidão de conselheiros. Ao tomar o tempo para ouvir muitas opiniões sóbrias e pesá-las cuidadosamente, os jovens seriam salvos de decisões tolas e doloridas. O efeito retardado e a sabedoria reunida aumentam, e muito, as probabilidades de sucesso.

Porque é difícil seguir a regra? O orgulho impede que o homem se humilhe diante do criticismo de outros. A pressa impulsiva ressente qualquer demora face ao que o coração deseja. A ambição busca para si mesma toda a glória ao tomar decisões solitárias. Rebelião e teimosia optam por fazer as suas coisas à sua própria maneira mesmo. A emoção cria um zelo apaixonado por alguma coisa seja ela válida ou não. Estes obstáculos em buscar conselho são as características dos tolos. Despreze e rejeite-os!

Que decisões merecem muitos conselheiros sábios? A maioria dos homens não tomam decisões acerca de guerra! Mas existem outras decisões que afetam a vida, como é o caso de uma mulher, uma carreira, um emprego específico, uma igreja, uma promoção, uma casa, um investimento, um negócio, um amigo, uma mudança, um problema com um filho, um problema de saúde e assim por diante. Você busca conselhos sábios de muitos?

Muitos homens desejam que alguém os tivesse impedido de se casarem com uma mulher desagradável (Pv 30:21-23; Ec 7:26). De que forma tomaram suas decisões de casarem? Eles objetiva e desapaixonadamente pediram a vários homens casados a respeito do caráter da menina e da sua família? Sem chance! Suas pálpebras tremulantes, palavras suaves e corpo jovem foram demais para eles. Desceram como ovelhas para o matadouro de cinquenta anos de inferno marital!

A sabedoria maior de numerosos conselheiro é encontrada na Bíblia, que contém os escritos de, mais ou menos, 40 homens inspirados pelo Espírito de Deus. É imprescindível que toda e qualquer decisão seja levada para o teste do martelo e do fogo das Santas Escrituras (Jr 23:29). Que cada homem trema diante da Palavra de Deus, considere todos os seus preceitos e estejam certos em todos os assuntos e odeiem a opinião contrária; mesmo que seja a sua própria (Is 66:2; Sl 119:128).