Provérbios 23:34

E serás como o que dorme no meio do mar e como o que dorme no topo do mastro.

Play Audio

O que é ficar muito embriagado? Salomão o comparou como deitar em um navio numa tempestade! Ao invés de estar no convés, onde os seus olhos podem ajudá-lo a se equilibrar, esse homem está deitado nos porões do navio agitado, sentindo como se ele logo fosse virado às avessas! Sua cabeça gira; seu estomago se contrai para vomitar! Melhor do que isso, a embriaguez é como se você estivesse deitado no topo do mastro, onde os movimentos do navio são grandemente multiplicados pela sua extensão!

O contexto deste provérbio é o alerta de Salomão para o seu filho a respeito dos terríveis efeitos da embriaguez (Pv 23:29-35). Ele descreveu uma lista das consequências físicas (Pv 23:29), a atração sedutora das bebidas alcoólicas (Pv 23:30-31), os resultados dolorosos parecidos com a mordida de uma cobra (Pv 23:32), o transtorno presente das inibições morais (Pv 23:33), e a natureza viciadora da embriaguez (Pv 23:35). Estes são avisos claros contra a embriagues.

Embriagues é pecado; mas também é estupidez! Bêbados perdem o autocontrole, seu equilíbrio, o alimento em seu estômago e as suas reputações! Eles voluntariamente escolhem a procura da náusea no estômago e a confusão da mente; bêbados são grandes tolos! Que razão há no mundo para uma pessoa beber demais daquilo que ele sabe que vai lhe fazer mal e vai lhe causar tanta miséria? A ignorância! Um coração tolo! A pressão dos seus pares! Os maus hábitos! A dependência!

Qual é a cura? Não fique encantado com ela (Pv 23:30-31). Reconheça e admita que o vinho e a bebida forte sejam enganadores (Pv 20:1). Lembre-se que uma quantia moderada pode trazer os benefícios que Deus pretendia (Pv 31:6-7; Sl 104:14-15; ITm 5:23). O pecado da embriagues ocorre quando a pessoa bebe excessivamente, o que é condenado (Ef 5:18). O vinho em si mesmo não é mais pecaminoso do que o pão. Tanto a embriagues como a glutonaria são pecados do excesso do coração humano.

Sabedoria é o poder do reto julgamento - saber o que fazer em cada situação qualquer de modo a agradar a Deus e aos homens. Homens sábios usam com cautela o vinho ou bebida forte, especialmente se estão em posição de autoridade (Pv 31:4-5; Ec 10:16-17; ITm 3:8; Tt 2:3). Eles querem controlar as suas faculdades mentais e eles não cederão pela tolice momentânea de beber em excesso. Eles reconhecem o valor do vinho e o usa com moderação e odeiam a embriagues.

Não importa o que diz o mundo, a embriagues é um pecado (Lc 21:34; ICo 6:9-11; Gl 5:19-21). E é estupidez como declara metaforicamente o provérbio. Aqueles que desejam ser sábios à vista de Deus usará o vinho com grande cautela. Eles governarão os seus espíritos e circunstâncias de forma a evitar beber demais. Tal prudência os guardará do tolo pecado da embriagues e os salvará dos sintomas extremamente dolorosos e confusões mentais da embriagues. Só tolos beberão sem quaisquer considerações.