Provérbios 23:30

Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada.

Play Audio

Embriagues é pecado. Beber vinho ou bebida misturada não é pecado. O se deter muito tempo tomando vinho, ou bebendo em excesso, é o pecado. Salomão deu um aviso solene a seu filho contra a embriagues (Pv 23:29-35), o que ele acabara de identificar pelos seus inúmeros sintomas físicos (Pv 23:29). O vinho não é a causa do problema neste contexto; o abuso do uso do vinho é que está sendo condenado.

Deus criou o vinho e Ele o fez para alegrar o coração do homem. Se você duvida da capacidade do vinho de animar o coração, você precisa ler a Bíblia (Jz 9:13; Zc 10:7; Ec 10:19). O abençoado Deus endossou isso claramente (Pv 31:6-7; Dt 14:26; Lc 7:33-34; Jo 2:1-11). Mas o homem, em seu abuso perpétuo da criação e revelação de Deus, geralmente comete dois erros. Ou ele faz com que o beber vinho é um pecado, ou ele bebe até a embriagues.

Embriagues é pecado. Beber pecado em excesso, que é a única maneira de se embriagar, é pecado (Ef 5:18) Alguns foram beberrões antes de suas conversões mas os cristãos não fazem tais coisas (IPe 4:3-4). Beberrões não herdarão o reino de Deus (Gl 5:19-21; ICo 6:10). E irmãos cristãos que se embriagam devem ser excluídos (ICo 5:11).

Homens jovens, em razão da tolice que está enraizado em seus corações, são mui vulneráveis a beber em excesso (Pv 22:15; Ec 11:10). Um simples passeio por uma cidade universitária, mesmo sem visitar uma fraternidade estudantil, revela um grande número de bares ou outras paradas de bebidas. Cheios da invencibilidade da juventude e instigando uns aos outros, eles perambulam para a tolice e o pecado.

O contexto é claramente da embriagues (Pv 23:29,33-35), O que ocorre por se deter durante muito tempo tomando vinho ou ficando e bebendo demais (Is 5:11). A segunda parte do nosso provérbio de hoje pode ser compreendido à luz da primeira parte, o ir à busca de vinhos misturados além do sábio juízo (Pv 9:2). Veja (Jó 31:1), onde tecer considerações a respeito de uma jovem é entendido num contexto específico de pecado, e (Mt 6:34) onde o não refletir no dia do amanhã deve ser considerado também como pecado.

O vinho é um escarnecedor, pois a embriagues faz com que a pessoa proceda tola e vergonhosamente (Pv 20:1). Lembre-se de Noé e de Ló (Gn 9:18-27; Gn 19:30-38)! Somente tolos perigosos agem ignorantemente acerca da bebida e do excesso de beber; homens sábios sabem que é perigoso e deve ser governado com prudência. Você deve saber o quanto você vai beber antes de começar, para que não permaneça tempo demais e termine embriagado. Homens sábios nem se associarão com beberrões (Pv 23:20; Pv 28:7).

Mas o vinho é pouco mais perigoso do que o pão e os carboidratos processados nos nossos dias, pois eles levam à glutonaria, são gêmeos fraternais da embriagues (Pv 23:21; Dt 21:20; Lc 21:34). É vergonhoso quando uma mulher pesando 300 quilos está devorando o seu terceiro pedaço de bolo condena um homem que está bebendo um cálice de vinho em sua refeição! Mais um fariseu sem conhecimento metido a santo!