Provérbios 20:26

O rei sábio dissipa os ímpios e faz girar sobre eles a roda.

Play Audio

Grandes governantes esmagam criminosos. Um rei poderoso que não tolera oposição civil é algo maravilhoso (Pv 30:31). Tanto Salomão quanto o seu pai Davi foram reis sábios e bem sucedidos. Aqui Salomão dá conselho inspirado e adquirido conhecimento político a reis e outras formas de autoridade. Sábios governantes lutarão e destruirão pessoas más sob a sua autoridade.

A origem e o objetivo do governo civil não são mistérios. O SENHOR ordenou governantes sobre todas as nações e outros principados para punir os malfeitores (Rm 13:1-4; IPe 2:13-14). Resistindo ou ressentindo esta autoridade é resistir e ressentir ao próprio Deus. O governo civil tem todo o direito de instituir a punição capital na exigência do cumprimento de suas leis, e Deus envia estes governantes como Seus ministros para executar vingança sobre aqueles que são maus e praticam a perversidade.

Girar a roda sobre os ímpios significa esmagá-los. Nos dias de Salomão, o grão de trigo era moído girando ou o rolando uma pesada roda sobre ele (Is 28:27-28; Jz 16:21). Isto separava o trigo da casca. Governos sábios tomarão medidas enérgicas para esmagar homens cruéis que se colocaram contra a autoridade e a lei.

Aqui a sabedoria ensina que o governo civil deve ser duro e severo. Não pode haver tolerância ou comprometimento com criminosos. Comprometimento e demora causa um aumento na criminalidade pelo endurecimento dos corações dos criminosos. Podemos ver isto em nossos dias pelos júris que são incapazes de chegar a uma decisão unânime, apelações, táticas de obstruções, apelos a instâncias superiores e adiamento de execuções (Ec 8:11).

Temos várias referências a reis neste capítulo de Provérbios. Salomão estava fornecendo sabedoria para o seu filho Roboão, que seria o rei seguinte de Israel, e para governantes em geral. Ele descreve a virtude positiva de grande temor (Pv 20:2), a santa execução, por eles, do juízo (Pv 20:8), e o equilíbrio da misericórdia e da verdade na proteção dos inocentes (Pv 20:28).

Governos sábios buscam vidas calmas e pacíficas para os seus cidadãos produtivos. Essas pessoas só podem ter vidas assim se os perversos forem espalhados e esmagados. Os líderes devem levar com seriedade a justiça como parte do seu ofício e fazer tudo que puder para destruir os criminosos e a criminalidade. Eles devem estar isentos de sentimentalidade para poder ajudar, auxiliar ou perdoar criminosos.

Não há lugar para uma só pessoa perversa, ou um criminoso, numa nação justa e boa. Os corredores da morte deveriam ser esvaziados dos seus 3700 monstros ... por meio de apedrejamento público transmitido através dos canais "Pay per view" da televisão, com as rendas revertidas para as famílias das vítimas. Um centavo a mais gasto para a manutenção deles no sistema penitenciário é um desperdício. Pedras são baratas. Davi, um rei segundo o coração de Deus, tinha uma tolerância zero para com os criminosos (IISm 4:1-12; Sl 101:4-8).

Aqueles que resistem ou se ressentem do governo civil e aqueles que falam mal ou levianamente daquelas autoridades devem ser tratados com mais severidade. O próprio Deus abriu a terra para engolir vivos os homens e as suas famílias por falarem mal contra Moisés (Nm 16:1-34). O Novo Testamento diz que eles deveriam ser destruídos como cachorros raivosos, pois, obviamente, eles não entendem a necessidade básica de autoridade (IIPe 2:10-12; Jd 1:8-10). Não há nada semelhante à liberdade de expressão contra a autoridade na sabedoria de Deus (Êx 22:28).

Que todo o homem em posição de autoridade use de medidas rígidas e severas contra os perversos no âmbito do seu controle. Isto se aplica a empregadores, pais, maridos e pastores assim como aos reis e presidentes, governadores e delegados. Justiça, paz e calma depende de lideranças fortes livrando a nossa sociedade da rebelião dos tolos.

Jesus Cristo é o maior dos Reis, com a maior sabedoria. Ele é Rei dos reis! Quando os judeus O rejeitaram e O crucificaram, Ele prometeu voltar e destruir miseravelmente aqueles homens malignos (Mt 21:41), Enviando os Seus exércitos para queimarem a cidade deles (Mt 22:7), e moê-lo até o pó (Mt 21:44). Ele prometeu não deixar pedra sobre pedra quando destruísse Jerusalém (Lc 19:44). Ele prometeu que viriam mais aflições e perturbações sobre eles do que em qualquer nação que tivesse existido antes ou que viria a existir depois deles (Mt 24:21). E Ele cumpriu tudo isso e mais no ano 70 d.C pelos exércitos romanos sob o comando de Tito Flávio Vespasiano Augusto.

Mas, ao mesmo tempo, para aqueles que temiam o Seu nome e O amaram, o Sol da Justiça chegou com cura em Suas asas (Ml 4:2). E Ele está voltando novamente com bênçãos e recompensas eternas para aqueles que amam a sua aparição (Tt 2:13).