Provérbios 20:15

Há ouro e abundância de rubins, mas os lábios do conhecimento são jóia preciosa.

Play Audio

Você consegue medir a verdadeira riqueza? O que é mais precioso do que o ouro e um monte de rubis? De que forma o rei mais rico e sábio responderia a esta pergunta? Ele lhe diria que um excelente falar é mais valioso. Você trabalha duro todos os dias para ganhar dinheiro e progredir. Você também trabalha muito para adquirir a sabedoria e fixa o que aprendeu na sua língua para ajudar a outros?

As idéias do mundo a respeito do que é importante e de valor são imprestáveis, mas elas também são enganadoras e destrutivas. Se você der ouvidos às idéias deles, você teve a sua atenção desviada das verdadeiras prioridades da vida e perdeu o melhor de Deus para a sua vida. Elas dão ênfase ao sucesso profissional e financeiro, mas o sábio rei e filósofo de Deus ensinou algo muito diferente - O excelente falar é o seu objetivo!

Se um homem pobre desse valor à boa maneira de falar, acima da riqueza, ninguém daria valor, pois ele nunca teve um poder financeiro para poder fazer uma comparação válida. O rei Salomão não foi assim. Deus o enriqueceu muito, e nos seus dias havia o ouro e rubis em abundância, e os homens os buscavam (IICr 1:12,15). Sua alta avaliação da maneira de falar aqui é algo de peso. Deus também lhe dera um coração sábio e entendido e, por isso, ele sabia o verdadeiro valor mais do que qualquer outro homem (IRs 3:5-14).

O ouro é um metal - rubis são minerais. Eles são sujeira ou pedras; faça sua escolha. Mas os homens anseiam e os acumulam. Eles são um perigo. Ladrões buscam por eles; governos os taxam; vizinhos os invejam; eles precisam ser protegidos e segurados; basta usar uma vez e eles se vão. A fala excelente é uma rara jóia que você pode usar vez após vezes, sem que haja qualquer um destes riscos.

Que tipo de conhecimento Salomão se referia aqui: Não era as alucinações e mentiras ensinadas em Cambridge ou em Harvard! Ele fala do verdadeiro conhecimento - da real sabedoria - do real entendimento. Ele quis falar a respeito da sua visão do mundo, da filosofia, do juízo, da equidade, e da verdade que vem do temor do SENHOR (Pv 1:7; 9:10; Ec 12:13-14). Este é o único conhecimento que vale repetir!

O melhor que Oxford ou Yale podem fazer é acrescentar a explosão de informação que balança o mundo, entupindo a Internet, e sufocando a mente com dados inúteis ou esforço sem valor (IITm 3:6-7). Mas a maior parte do conhecimento deles é enganador e fraudulento - teoria da evolução, aquecimento global, mesmas besteiras sobre o sexo, humanismo, socialismo, individualismo, etc.

A verdade é a chave - o que é certo e bom comparado com o que é errado e mau. Uma vida agradando a Deus e aos homens de bem é o objetivo - para você e para os outros. Apenas certa maneira de falar serve as duas pontas, e é dessa maneira de falar que Salomão enfatiza aqui (Pv 22:17-21; 23:23). Você precisa encontrar e aprender a verdade absoluta e a autoridade final da palavra de Deus para então compartilhá-la caridosamente, graciosamente e discretamente para beneficiar os seus ouvintes (ICo 13:1-7; Ef 4:15).

Usar a sua boca e as suas palavras para ajudar a outros é parte do segundo mandamento, o amor ao próximo (Mc 12:29-31). A habilidade e o esforço para instruir, confortar, corrigir e alertar os outros são as características de homens grandes e nobres (Pv 10:21; Pv 11:30; 12:18; 15:4,7; 16:21,24). Você pode fazer isto? Você faz isto? Você tem o verdadeiro conhecimento para compartilhar com os outros?

Adquirir conhecimento exige esforço. Você precisa rejeitar as distrações para poder estudar com diligência (Pv 18:1). Você precisa se humilhar diante dos professores (Pv 2:1-2). Você deve orar fervorosamente pelo conhecimento (Pv 2:3; Tg 1:5; Sl 119:18). Você deve procurá-lo como se procura um tesouro escondido (Pv 2:4-5). Você deve usar o único livro de origem da sabedoria (Sl 19:7-11; Is 8:20; ITm 6:3-5; IITm 3:16-17).

Falar bem tem regras próprias. Em primeiro lugar, ouça (Pv 18:13; Tg 1:19). Olhe para lá das aparências para poder avaliar corretamente (Jo 7:24). Tenha as palavras certas da verdade em sua mente (Pv 22:17-21; 16:23; Hb 5:12-14). Prepare a sua resposta, a não ser que você já tenha a certeza do que deve falar (Pv 15:28). Prefira usar poucas palavras do que muitas (Pv 10:19; Ec 5:2). Seja agradável (Pv 10:32; 22:11; Ec 10:12; Cl 4:6).

A fala excelente é raridade, pois poucos a tem; ela é valiosa, porque beneficia a outros; a combinação a torna mais preciosa do que o ouro ou o rubis. Essa maneira de falar é uma coisa boa (Pv 15:23). Tais oradores merecem um beijo nos lábios (Pv 24:26), elas são tão bonitas quanto as maçãs de ouro em salvas de prata (Pv 15:11), e são como jóias de ouro a um ouvinte sábio (Pv 25:12).

Os lábios do conhecimento são recompensados ao ajudar a outros (Pv 9:9; Jó 29:21-25; Tg 5:19-20). Mas Deus e os homens de bem abençoam ainda mais os oradores sábios (Pv 18:20; 27:9). Até reis serão influenciados de forma a honrar tais homens (Pv 16:13; 22:11). Existem alguns oradores muito raros, como jóias gloriosas, que brilham como estrelas radiantes nos céus (Dn 12:3; Ml 3:16-17).

Entenda a lição. Planeje acrescentar valor real à sua vida - valor acima dos bens monetários ou de perspicácia nos negócios. Comece no seu coração e na sua mente, pois é dali que vem as palavras (Lc 6:45; Pv 4:23; Sl 119:11). Exalte a Deus bem alto no seu coração, amando e temendo a Ele, e então decida pela infalível sabedoria da escritura (Pv 22:17-21; IPe 3:15; ITm 4:13-16).

A cada hora a mais que você gasta na busca do sucesso profissional ou da riqueza financeira, lembre-se de que um homem sábio investiria na mais valiosa mercadoria que é o excelente falar. Toda vez que você abre a sua boca, pense a respeito do bem que você pode fazer, e tema e odeie o dano que você poderia causar (Pv 12:18; 18:21). Meça as suas palavras pela santa balança de Deus.

Deus tem uma grande companhia de pregadores, os quais com os lábios do conhecimento ensinaram a muitos ao longo de vários milênios (Sl 68:11). O trabalho deles de comunicar a palavra de Deus para os outros era tão valioso, que até mesmo os seus pés eram chamados de suaves (Is 52:7).

Eliú disse a Jó que eles eram raros por ser um entre milhares (Jó 33:23-24). Você tem um para o seu benefício (At 8:30-31; 10:33)?

Jesus Cristo foi o maior homem que já viveu. Ele tinha os mais preciosos lábios de conhecimento. Apesar de pobre pelas medidas de importância terrestres e tolas, tudo o que falava, fosse o que fosse, era glorioso (Is 50:4; Mt 7:28-29; 22:46; Lc 4:22,36; 24:32; Jo 7:46; ITm 6:3). Você o conhece? Você já ouviu Dele as palavras de vida (Jo 6:63,68)?