Provérbios 20:8

Assentando-se o rei no trono do juízo, com os seus olhos dissipa todo mal.

Play Audio

Foi-lhe negado. Você nunca viu um verdadeiro rei, uma grande autoridade, ou o mal julgado corretamente. Um grande rei é uma vista gloriosa; ele usa o seu trono para o correto julgamento do seu povo; ele reprime grandemente a maldade. É uma das coisas mais lindas do mundo (Pv 30:29-31).

Um bom governo, de qualquer tipo, enfatiza o trono do juízo, onde os erros são corrigidos, os oprimidos defendidos, os maus punidos, e os justos reconhecidos. Tal governo reduzirá o mal pelo temor consistente de represália que pode advir (Rm 13:3-4). Os reis que odeiam a maldade e impõe a justiça terão longa duração (Pv 16:10-12; 29:14). Foi este o tipo de rei que a Rainha de Sabá testemunhou em Salomão (IRs 10:9).

Isto não é um rei qualquer; este é um grande rei. Muitos bons juízes da nossa terra são como este provérbio. Eles levam a sério as suas responsabilidades, e usam os seus cargos para o prudente exercício da justiça e do juízo para proteger os inocentes e punir os culpados. Um rei sábio espalhará os ímpios e os esmagará sob a roda da justiça (Pv 16:14; 20:26). Considere o que Davi fez com dois generais que haviam decapitado Isbosete, o filho de Saul (IISm 4:1-12).

Mas muitos governantes, incluindo reis, comprometeram o trono do juízo. Eles usam o trono e a sua posição para ter o luxo, o entretenimento, e os fins egoístas, ao invés da zelosa aplicação da justiça e do julgamento dos cidadãos (Ec 8:11; 10:16-17). Deus os julgará (Sl 82)!

Leitor, você é um homem de autoridade? Como marido e pai, você tem um trono de juízo. Como um mestre, magistrado ou pastor, você também tem um trono. Você exerce o seu cargo e autoridade para o maior benefício daqueles que estão sob a sua responsabilidade, ou para o seu próprio benefício? Você promove a justiça e condena o mal? Os seus olhos fazem os maus temerem?

Bons governantes temem o Senhor, amam a verdade e odeiam a cobiça (Êx 18:21). Eles examinam as questões para julgarem retamente (Pv 25:2; Jo 7:24). Eles equilibram a misericórdia e a verdade; (Pv 20:28); eles governam com justiça, governando no temor do Senhor (Êx 23:6-8; Dt 16:18-20; IISm 23:3). Eles não se esquivam das suas obrigações e governam pelo consenso (Ec 10:5-7; Is 3:1-15). Eles imploram a Deus pela sabedoria para governarem (IRs 3:7-9), e eles não suportarão os maus (Sl 101:3-8).

Nenhum homem governa como Jesus de Nazaré (Is 11:4-5; Jr 23:5; Zc 9:9; Hb 1:8). Brevemente, cada homem se apresentará diante do Seu terrível trono (Rm 14:10-12; IICo 5:10-11). Céu e terra fugirão da face e dos olhos deste Rei (1:14; 19:12; 20:11). Pecadores estarão nus e condenados aos Seus olhos (Sl 5:5; Hc 1:13; Hb 4:12-14). E os maus Ele espalhará em Seu furor para o inferno eterno (Ap 20:12-15). Temível Soberano, tenha misericórdia!