Provérbios 19:17

Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício.

Play Audio

Ajudando financeiramente aos pobres é como se estivesse dando um empréstimo ao SENHOR Jeová! A metáfora é poderosa! O SENHOR é um risco de grande crédito! Ele certamente retribuirá, e Ele incluirá na retribuição os juros e as bênçãos que os acompanham! Você nunca perde dando a Deus! Ele representa os pobres, porque Ele as fez e Ele as protegerá (Sl 10:14; Sl 12:5; Sl 140:12; Ec 5:8).

Leitor, o sucesso financeiro não é difícil! Dê àqueles que forem verdadeiramente pobres, e o Senhor retribuirá a sua bondade com bênçãos liberais. A prosperidade econômica nunca foi tão fácil! O Deus onipotente enviará o sucesso do céu! Se você espalhar o seu dinheiro com alegria, Ele lhe fará rico (Pv 11:24; IICo 9:7)! Se você retiver, a pobreza virá, com certeza (Pv 11:24)! É claro que o mundo e a sua carne, que são odiosos por natureza, não creem nesta regra.

Este provérbio, como os demais, é uma lei determinada por Deus. Você pode confiar nela da mesma forma como você confia na lei da gravidade e em outras leis naturais. O respeitável programa de negócios das universidades de Stanford, Wharton School e Harvard, são piadas em comparação. Qualquer homem que tem conhecimento dos provérbios é vastamente superior ao título bobo de MBA dessas mesmas universidades (Pv 28:11; ITm 6:20).

Há pouca diferença entre o rico e o pobre, pois ambos foram feitos por Deus (Pv 22:2). A realidade de que um homem tem mais do que os outros é uma escolha de Deus, não é uma superioridade pessoal (ICo 4:7; Ec 9:11). O rico nunca deve zombar do pobre ou se exaltar sobre eles (Pv 17:5). É o dever e o privilégio solene de todos os homens de bondosamente considerarem o pobre (Pv 28:3; 29:7; Sl 41:1).

Esta questão de considerar e de ajudar o pobre é tão importante para Deus que ele fixou bênçãos e punições a ela. Dar aos pobres trará bênçãos financeiras ao doador (Pv 22:9; 28:8,27; Sl 112:9). Ser ''pão duro'' com os pobres trará julgamento financeiro sobre os miseráveis (Pv 21:13; 22:16; 28:27). Aquele que tem ouvidos, que ouça!

Quem são os pobres e onde é que eles estão? Eles não estão em programas de televisão dos milagreiros socialistas que não têm nenhuma consideração a Deus ou à verdade. E isto inclui aqueles heréticos do ''evangelho da prosperidade'' que se fingem de cristãos. Eles frequentemente usam de fotografias de bebês inchados e famintos simplesmente para aumentarem o seu fluxo de caixa para transferirem valores para os seus ''ministérios'' carnais. Nações que perpetuam a ignorância e a superstição não são objetos de caridade divina.

Os pobres são os órfãos e as viúvas, ou outros sob ações de Deus que são colocados em seu caminho (Tg 1:27). O bom samaritano não foi às favelas procurando um judeu ferido, mas ele ficou ansioso por ajudar um pobre homem colocado em seu caminho pela providência do Senhor. E os pobres certamente incluem os pobres entre os santos (At 11:28-30; Rm 15:26; Gl 6:10).

Os pobres não incluem os homens tolos ou preguiçosos, a não ser que tenham se arrependido sinceramente e fazem tudo que podem por eles mesmos. Homens tolos ou preguiçosos deveriam ser privados do alimento, pois é a melhor maneira de ensinar e de aplicar a justiça (Pv 20:4; Mt 25:1-30; IITs 3:10). Os homens sábios não são um fundo de seguro geral para homens tolos. Que os tolos aprendam a sabedoria da maneira difícil (Pv 16:26)!

O que é que damos aos pobres? Alimento, roupa e abrigo ou aquilo relacionado intimamente com estas necessidades básicas (Jó 31:16-22; Is 58:7; Ez 18:5-9; Tg 2:15-16). Luxúrias ou prazeres não são a natureza da verdadeira caridade. Considerando o pobre e atendendo às suas necessidades, não aos seus desejos tolos (At 2:44-45; 4:34-35). Brinquedos no Natal não é verdadeiramente caridade! E a Bíblia tampouco é comunista - os mais prendados e diligentes devem desfrutar de mais.

Nas igrejas de Jesus Cristo, a contribuição deve ser supervisionada pelos bispos e diáconos, para que aqueles que não precisam recebam caridade enquanto que os necessitados sejam esquecidos. O dinheiro da igreja primitiva foi colocado aos pés dos apóstolos para que eles fizessem a distribuição (At 4:35,37; 5:2). Quando a tarefa se tornou grande demais para eles, eles ordenaram diáconos para administrarem os recursos (At 6:1-6).

Somente a contribuição com alegria funciona (IICo 9:7; Gl 2:10). Se você não sentiu vontade de dar ou ficou gemendo ao dar, você perde duplamente! Você perde o dinheiro que deu, e perde as bênçãos prometidas. Você é perdedor duas vezes! Você não trouxe nada para este mundo, e dele nada levará. Você tem sido grandemente abençoado. Porque é que a sua alma é tão mesquinha a respeito de doar aos pobres?

Somente um tolo sem fé pode dizer, "Eu não consigo concordar em dar"! A verdade é que ele NÃO consegue dar! Ele é pobre por causa da sua mesquinhez. Se ele abrisse o bolso, ele seria abençoado financeiramente. Mas claro, os incrédulos não conseguem entender esta lição simples e certa. O homem fiel crê na promessa e tira vantagem dela com alegria e ações de graça!

Deus não deixa de registrar um centavo sequer que você tenha doado, ou um minuto que você doou aos pobres. Ele retribuirá! Por outro lado ele não deixa de registrar o centavo que você reteve ou um minuto apropriado por você. Ele retribui isto também! Deus tomará o pouco que aquele homem egoísta e mesquinho tem e o dá ao homem rico, que liberalmente dá aos pobres (Mt 25:14-30). Glória!

Homens sábios com fé se alegraram em poder dar aos pobres. Eles sabem que a caridade é a maior graça e marca do cristianismo (ICo 13:13; Jo 13:35; IJo 3:16-19). Eles sabem que uma das razões pela qual eles trabalham é o de ter mais para dar (Ef 4:28). Eles sabem que a caridade é o mais excelente meio de servir a Cristo do que sendo um apóstolo (ICo 12:28 - 13:3). Glória!

O Senhor Jesus Cristo devolverá toda a doação feita aos pobres. Ele pagará o principal - você nunca vai sentir necessidade. Ele pagará com juros - você terá mais do que se você não tivesse dado. Ele também lhe devolverá com muitas outras bênçãos (Pv 14:21; Fp 4:17-19; ITm 6:17-19). E Ele lembrará cada centavo no Dia do Juízo, mesmo que você esqueça no terrível calor daquele solene evento (Mt 25:31-46; Lc 14:12-14)!

Se você ainda tiver dificuldade em dar, considere o seu glorioso Benfeitor, o Senhor Jesus Cristo. Pela sua condição desesperada e faminta na pobreza do pecado e condenação, Ele se tornou pobre para que você se enriquecesse. Que negritude de coração faz com que você se prive de dar tudo que você tem aos outros (IICo 8:9).