Provérbios 18:14

O espírito do homem aliviará a sua enfermidade, mas ao espírito abatido, quem o levantará?

Play Audio

O seu espírito é uma espada de dois gumes! Ele pode suprimir as dificuldades da vida e deixar você no topo do mundo. Ou ele pode sangrar a sua alma ao ponto que a sua dor não pode ser descrita.

Um espírito ferido é mais dolorido do que um corpo ferido, pois o espírito é mais vital do que a existência do corpo. Se você permitir que uma dificuldade qualquer ou uma tristeza ganhe a vitória sobre o seu espírito, a dor esmagadora pode ser intolerável. Tolos buscarão o conforto da morte!

Governado e dirigido pela sabedoria, o seu espírito pode sobreviver a qualquer dificuldade. Permitir que ele o governe quando você for ferido, se torna insuportável para você e para os outros. Governado e dirigido pelo espírito de Deus, você pode ser alegre em qualquer adversidade. Permitir que tenha curso livre, ele pode e levará até homens sóbrios e sábios ao suicídio. Você está governando o seu espírito hoje?

Homens naturais já fizeram coisas incríveis sob terríveis estresses, dor, perigo, e dificuldade através de um espírito forte e corajoso. Seus feitos são leituras maravilhosas, mas o cristão pode fazer ainda melhor! Pois o conhecimento da realidade presente e das expectativas futuras, e o apoio contínuo do Espírito de Cristo, são coisas que os ímpios desconhecem completamente.

Governar o seu espírito é a melhor evidência da maturidade cristã. Lutando contra heréticos ou com problemas de fora é fácil. Governar um espírito melancólico do lado de dentro é muito mais difícil. Crescer em graça e produzindo o fruto do Espírito resultará no sábio governo do seu espírito.

Existe um homem piedoso e grande que pode se levantar e com quem se pode contar? Existe uma mulher virtuosa?

Nada que você faça na vida é tão importante quanto o governar o seu espírito. Se você permitir que ele o governe, você é um perdedor (Pv 25:28). Se você o governa você é um homem maior do que aquele que por si só toma uma cidade (Pv 16:32).

Quando Jó governou o seu espírito, ele abençoou o Senhor, apesar da sua vida estar de desfazendo em pedaços (Jó 1:20-22). Quando Jó deixou o seu espírito correr solto com pensamentos a respeito da reviravolta na sua sorte, ele amaldiçoou o dia em que nasceu e desejou que estivesse morto (Jó 3:1-26). E, a partir dali começo a descer, até que Eliú e Deus o detonaram por causa da sua auto justificação (Jó 32:2; 38:1-3).

O que Jó fez de errado? O que aconteceu entre Jó 1:20-22 e Jó 3:1? Ele pensou demais! Uma autorreflexão é ímpia e improdutiva. O autoexame é bom, mas a autorreflexão que leva à autocomiseração, ira, e depressão são destrutivas. Jó deveria ter jejuado e orado e pedido que os seus amigos se juntassem a ele (Tg 5:13). Ao invés disto, ele permitiu que a reflexão melancólica o levasse direto à tolice (Jó 2:11-13).

Quando Davi se defrontou com as suas maiores crises ao fugir de Saul que o queria matar, quando os seus próprios amigos queriam apedrejá-lo, ele "... se esforçou no Senhor, seu Deus" (ISm 30:6). E o seu verdadeiro amigo, Jônatas, fortaleceu a sua mão em Deus (ISm 23:16). Temos aqui um verdadeiro amigo, contrastando grandemente com os três consoladores miseráveis de Jó.

E Davi muito se angustiou, porque o povo falava de apedrejá-lo, porque o ânimo de todo o povo estava amargurado, cada um por causa dos seus filhos e das suas filhas; todavia, Davi se esforçou no Senhor, seu Deus.

Um homem que governa o seu espírito no temor e alegria do Senhor tem uma festa contínua, independente das circunstâncias; mas um homem que permite que o seu espírito seja afligido pode encontrar o mal a cada dia (Pv 15:15)! Governar o seu espírito com alegria trás uma disposição alegre, mas desgovernado a tristeza quebranta o espírito (Pv 15:13). Que escolha terrível! Um coração alegre cura a alma, mas um espírito quebrantado esgotará sua vida. Veja os comentários de Provérbios 17:22.

É possível dançar num colapso econômico (Hc 3:17-19)! Pedro e João regozijaram por terem sido espancados pelos judeus (At 5:40-42); Estevão orou pelos seus assassinos(At 7:60); Paulo e Silas cantavam na masmorra; (At 16:25); Paulo realizou um piquenique numa tempestade no mar (At 27:33-36).

Os mártires de Deus, desde Abel às perseguições atuais nas nações muçulmanas, sofreram horríveis torturas com alegria, sobrepujando espíritos ao manterem seus corações focados em Jesus Cristo pelo Seu Espírito. O mundo não é digno desses grandes espíritos.

Mas o rei Acabe fez um bico na cama com o seu rosto voltado para a parede e recusou comer, porque ele não podia ter o vinhedo de Nabote (IRs 21:4). Quão mimado! Que nenhum homem cristão haja assim para com a sua mulher ou família, pois você se marca como um homem muito mau (IRs 21:25).

Mesmo Elias estava sujeito à depressão após a sua grande vitória sobre os profetas de Baal, quando desejou a morte (IRs 19:4). Nós aprendemos que as suas paixões eram normais; (Tg 5:17) mas ficar abatido e destruído são duas coisas bem diferentes (IICo 4:8-11). Um espírito governado pode ficar desanimado, mas não se volta para os excessos melancólicos da auto piedade.

Os primeiros dias da Segunda Guerra Mundial custaram aos britânicos uma enorme perda de navios e suas tripulações pelos submarinos alemães. Buscando uma maneira de salvar vidas nos terríveis eventos no mar, eles descobriram que os tripulantes mais velhos e experientes tinham uma taxa de sobrevivência maior do que os mais jovens, que eram marinheiros mais fisicamente preparados. Mais anos de adversidades fortificaram os espíritos dos mais velhos e lhes deu a vantagem sobre os jovens em situações de sobrevivência. Kurt Hahn, o responsável por essa pesquisa aplicou o seu conhecimento ao formar o programa de treinamento conhecido como "Outward Bound", que aumenta a resistência através de desafios controlados, e progressivamente mais difíceis.

Este princípio de formação do espírito foi revelado muito antes de 1941, pois o Senhor edifica a nossa fé e paciência (resistência às dificuldades) da mesma forma. Ele cuidadosamente prepara aflições e provações para aumentar a capacidade de resistência do nosso espírito (Tg 1:2-4; Rm 5:3-5). Você não vai se defrontar hoje com quaisquer tentações dos quais você não possa escapar ou derrotar (ICo 10:13).

Paulo poderia enfrentar grandes adversidades e enfermidades pessoais pelo conhecimento de que a graça de Cristo o sustentaria (IICo 12:7-10). E você não pode fazer o mesmo, sabendo que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o Seu propósito (Rm 8:28)? Somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou (Rm 8:35-37)! O Senhor é capaz de curar os nossos corações quebrantados e enfaixar as nossas feridas (Sl 147:3).

O pecado destruirá um espírito reto, mas a confissão pode restaurá-lo (Sl 51:10). Davi gemeu sob a pesada mão corretiva de Deus (Sl 32:1-5; 38:1-11; 39:11; 51:8). Mas a confissão e o arrependimento trazem refrigério, favor e alegria (Jó 33:19-30).

Pecados não confessados podem gerar um inferno deste lado da eternidade que não pode ser contado. A dor de Caim "É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada" (Gn 4:13). Na sua grande tristeza, o desespero de Saul o levou a consultar uma feiticeira (ISm 28:15). Aitofel e Judas escolheram o enforcamento para a cura de suas dores (IISm 17:23; Mt 27:3-5). Eles provaram só uma gota do inferno, mas a tortura excruciante daquela punição foi grande demais. Quanto mais uma dose cheia durante toda a eternidade!

Você governa o seu espírito? Ou a sua esposa e família sabem que pequenos imprevistos na vida o deixam numa disposição irritadiça ou numa depressão silenciosa, quando então você reage aos outros os ignorando no seu afastamento egoísta? Que bobagem! Que infantilidade! Cresça hoje! Ter o seu espírito por perto é uma dor e é um pecado! Governe o seu espírito hoje! Tanto você quanto eles que estão por perto se beneficiarão.

Os santos podem se sentirem desanimados através de muitas aflições e múltiplas tentações (Sl 34:19; IPe 1:6), mas o Senhor os livrará de todos eles. A alegria virá pela manhã.

O nosso Senhor enfrentou maiores trevas, adversidades e agonia no Getsêmani do que as nossas pequenas mentes possam imaginar; mas com suor como gotas de sangue caindo de sua testa, Ele encontrou conforto e força em realizar a vontade do Pai (Lc 22:41-44; Mc 14:36). Ele olhou para frente pela alegria que estava diante Dele e Ele suportou as calamidades (Sl 16:8-11; Hb 12:1-4).

Você vai esfarelar-se com o trânsito lento? Com os muitos projetos em casa? Uma carreira decepcionante? Um dia de arrancar os cabelos? Um dia frustrante no escritório? Alguns quilos a mais de peso? Uma esposa ou filho desalentador? Um dardo inflamado do inferno dizendo que você é um perdedor? Que a vergonha destas perguntas o leve à alegria e a força no Senhor, pois o simples pensamento de que coisas tão insignificantes ferem os irmãos em Cristo é repugnante e ridículo!

Se você tem um espírito melancólico tendente à introversão, tome precauções. Pare de pensar, e vá fazer o que você deveria estar fazendo, agora! Saia de si mesmo. Bloquear os outros é tolice: você precisa deles. Use a sua esposa, família e irmãos para obter conselhos e conforto. Vá ao Senhor em oração e encontre a paz Dele que excede todo o entendimento (Fp 4:6-7).

Guarde o seu coração com toda a diligência. Regozije-se, e novamente eu digo, regozije-se. A terra não tem nenhuma tristeza que o céu não possa curar. Seu espírito pode ser melhor com mais rapidez pelo poder do Espírito de Deus