Provérbios 18:11

Os bens do rico lhe são cidade forte e, segundo imagina, uma alta muralha.

Play Audio

Para sua proteção os homens ricos confiam em seu dinheiro. Eles pensam que podem comprar os meios de saírem de suas dificuldades. Mas o conceito deles os engana! Eles não conseguem adiar a morte; não podem levar um centavo sequer consigo; e o santo e terrível Juiz que brevemente irão encontrar não pode ser subornado de forma alguma!

Os ricos acreditam que estão em segurança dos seus inimigos, como se estivessem dentro de uma cidade fortificada; eles imaginam que a cidade tem altos muros para repelir até mesmo os mais agressivos atacantes. Mas isto é o engano da presunção! O câncer não tem nenhum respeito pelo dinheiro; nem tampouco o Pai do Tempo. Problemas romperão as barreiras do muro; a morte tomará de assalto a cidade; e o julgamento final varrerá tudo isso para dentro do inferno!

Não podemos apreciar totalmente este provérbio sem lermos aquele que o antecede. Assim lemos, "Torre forte é o nome do Senhor, à qual o justo se acolhe e está seguro." (Pv 18:10). Que diferença existe entre o justo e o rico! O justo procura sua segurança no SENHOR, enquanto o rico depende do dinheiro para sua proteção. Veja os comentário de Provérbios 18:10.

Os ricos podem comprar segurança para si mesmos? Eles podem alugar um avião pulverizador para borrifar sua propriedade contra pragas! Eles podem pagar uma fiança para o seu filho pródigo! Eles podem comprar políticos para conseguir leis que os auxiliem em seus negócios! Eles podem pagar para ter os melhores médicos para uma plástica facial quase perfeita! Eles podem até mesmo serem capazes de pagar o preço de resgate de um filho para livrá-lo dos seus sequestradores!

Assim vive o homem rico com uma confiança arrogante de um conquistador. Ele come nos melhores restaurantes, viaja de primeira classe e tem motorista para conduzi-lo. Ele não se preocupa com o desemprego, aparelhos dentários corretivos para seus filhos, para cuidar dos seus velhos pais, liquidar a hipoteca da sua casa, cobrir as despesas de educação dos seus filhos, ou qualquer outra coisa. Ele acredita que está realizado ... até que ele morre e acorda nu diante da luminosidade ofuscante do Juiz de toda a carne, o qual não tem nenhuma consideração pelos homens por serem ricos!

Davi escreveu a respeito desses homens e dos seus pensamentos insanos (Sl 49:6-14). Eles não podem comprar o adiamento da morte para qualquer pessoa da sua família. Eles presumem que a morte não agirá contra eles como o faz com os outros. Eles veem os grandes patrimônios sendo repartidos quando os homens ricos morrem, mas ignoram os vários avisos dados e continuam em sua ignorância. Dão nomes a prédios, parques e ruas em homenagem a si mesmos para promoverem sua própria honra. Eles morrem como hienas e apodrecem na sepultura, mas seus beneficiários aprovam o estilo de vida deles! Tolos!

Jesus descreveu um arrogante homem rico, que tinha mais abundância do que poderia armazenar. Ele, de forma convencida vangloriou-se de poder construir outros celeiros maiores para guardar tudo que tinha e então ele começaria sua luxuosa aposentadoria em total segurança por muitos e muitos anos. Mas o nosso Senhor disse a ele, "Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?" (Lc 12:20). Seus altos muros ruíram! Sua cidade fortaleza foi tomada!

Sábio leitor, rejeite qualquer confiança nas riquezas que podem surgir no seu caminho (Sl 62:10; ITm 6:17). Não busque por riquezas, pois elas amaldiçoaram muitas almas antes de você (ITm 6:6-10). Escolha a sábia oração de Agur como sendo sua, e fique satisfeito com o alimento conveniente às suas necessidades (Pv 30:8). Construa a sua confiança no SENHOR pelas boas obras (Pv 18:10; ITm 6:19).