Provérbios 18:9

Quem é negligente na sua obra já é irmão do desperdiçador.

Play Audio

Os homens fracassam financeiramente por duas razões. Alguns são preguiçosos: eles não se aplicam com zelo e diligência apaixonada às suas profissões. Nunca ganham muito. Veja os comentários de Provérbios 6:11.

Outros desperdiçam a renda maior que obtém com muito trabalho. Eles correm riscos em tolas aventuras e gastam com prazeres. Veja os comentários de Provérbios 6:7 e 12:27.

Homens preguiçosos, que talvez cuidem dos seus poucos bens, com frequência desprezam o desperdício daqueles que trabalham muito. E homens diligentes, que podem ser desperdiçadores esbanjando seus rendimentos, com frequência desprezam a preguiça de homens que são mais cuidadosos do que eles mesmos. Mas estes homens são irmãos! As duas falhas são pecados; as duas falhas trazem a ruína financeira; as duas falhas merecem grande vergonha.

Não há virtude no empenho, se um homem diligente esbanja a sua maior produtividade assumindo riscos e gastando demais. E não existe nenhuma virtude numa administração cuidadosa, se o homem cauteloso é preguiçoso demais para produzir o quanto poderia. Estes homens são irmãos! Eles vieram da mesma família - a ruína financeira e profissional! Ambos são perdedores!

Leitor, qual é a sua tentação? Trabalhando menos? Gastando demais? Ou as duas coisas? Qualquer dessas duas práticas lhe arruinarão. Pare e considere sua tolice hoje! Ao invés de se justificar desprezando o homem que tem a outra falha, despreze a si mesmo admirando o homem que não tem a sua falha ou a do outro! Faça uma mudança! Trabalhe mais! Ou desperdice menos! Ou as duas coisas!

Homens diligentes trabalham bastante. Eles se aplicam com esforço e persistência. Eles sobem rapidamente em suas profissões; seus níveis de renda são altos. Mas eles geralmente reclamam do alto custo de vida, apesar do verdadeiro problema ser o alto custo da vida que levam. Eles esbanjam suas rendas com gastos excessivos (Pv 12:27; 21:17,20; 23:20-21). Eles perdem seus bens com especulações tolas (Pv 6:1-5; Pv 28:19-20,22). Salomão condenou as duas formas de desperdício.

Homens precavidos são prudentes! Fazem questão de um centavo. Eles evitam a maioria dos investimentos, pois não confiam em nada. Eles buscam por ofertas e vivem moderadamente. Não se arriscam; ficam contentes com pouco; eles esticam seu dinheiro. Com frequência eles têm pouco, pois não compreendem a recompensa do muito trabalhar (Pv 10:4; Pv 12:11 e 27; Pv 13:4; 20:4,13; 22:9). Eles aplicam a mesma mentalidade mesquinha nos hábitos de trabalho - determinam seu próprio ritmo e trabalham sem paixão. São perdedores!

Estes dois erros roubam o sucesso dos homens. Você é preguiçoso em seus negócios? Ou você desperdiça o incremento do seu trabalho? Ou você é culpado das duas coisas? Odeie as duas falhas - pois são igualmente pecados tolos. Sê diligente e zeloso nos seus esforços; e seja conservador em seus gastos e não desperdice nada (Pv 12:27). O sucesso e a prosperidade não são complicados ou difíceis, se você aprender a sabedoria inspirada aqui, mas coloque-a em prática, e espere por suas recompensas.

Salomão ensinou duas outras regras financeiras que se encaixam aqui. Considere-os sabiamente. O sucesso financeiro exige liberalidade em doar a Deus e a causas que Ele aprova (Pv 3:9-10; 11:24-26; 19:17; 28:27; Hc 1:2-11). Sua prosperidade também exige economias para as bênçãos, emergências e investimentos para com Deus (Pv 6:6-8; 14:4; 21:20; 30:25). Se estas duas regras adicionais forem verdadeiras (e são!), então você precisa ganhar mais e gastar menos para que possa economizar, e assim a sabedoria deste provérbio se torna incrivelmente fundamental. Deus, muito obrigado!

Este provérbio também se aplica à sua alma. Cristãos preguiçosos tentam produzir frutos ou ganhar um retorno em cima da graça de Deus dada a eles (Lc 8:11-12; 13:6-9; 19:23-27). Eles gostam de desperdiçar as oportunidades de conhecerem a Deus agradar a Ele com as suas vidas. Cristãos esbanjadores ouvem a palavra e regozijam e podem ser até ativos, mas gastam suas vidas correndo atrás do mundo (Lc 18:14; Fp 3:18-19; ITm 6:6-10).Paulo não era um nem outro – ele servia a Jesus com todas as suas forças, e ele não gastava, um dia sequer, brincando como os outros (I Co 15:10; IITm 4:7). Siga-o!