Provérbios 18:2

O insensato não tem prazer no entendimento, senão em externar o seu interior.

Play Audio

Sabedoria e verdade não são importantes para o tolo; ele está mais interessado em seus próprios pensamentos. Quando o entendimento e as suas opiniões colidem, ele sempre segue o seu próprio coração. Ele ama os seus próprios pensamentos e desejos, e ele quer contá-los e divulgá-los ao máximo.

Temos aqui o erro básico do tolo - ele valoriza suas opiniões e preferências mais do que a verdade. Ele está obsessivamente apaixonado por si mesmo. E ele está sempre procurando quem possa ouvi-lo para compartilhar os seus pensamentos. Esta tolice é largamente estimulada hoje, os tempos perigosos dos últimos dias, quando os homens amam mais a si mesmos e rejeitam a sã doutrina (IITm 3:1-2; 4:2-4).

Leitor, todo homem está sujeito a esta doença e o conflito entre a sabedoria e o coração. Este é o "x" da questão entre um homem sábio e o tolo, entre a verdade e a mentira, entre a vida e a morte. O tolo não quer ouvir; ele quer falar. Ele não quer instrução; ele quer é expressão. Ele não quer aprender; ele quer ensinar. E o seu coração depravado o afastará da sabedoria levando-o ao caminho que conduz ao inferno, vaidosamente falando a respeito de suas ideias durante todo o caminho.

Satisfação é ter uma grande alegria ou o prazer em alguma coisa. Um tolo não tem grande alegria ou prazer em entendimento, que é a obtenção da sabedoria, verdade e conhecimento. Ele não tem interesse nisto (Pv 17:16), Ele prefere desprezar e desdenhar isto (Pv 1:7,22).

Compare o homem sábio, que se deleita na lei do Senhor mais do que qualquer outra coisa (Sl 1:2; 19:10; 40:8; 119:16,24,35,47,70,77,174). Ele deseja a correção, a repreensão e o ensinamento (Sl 1:5; 9:9; 141:5). Ele teme o seu próprio coração (Sl 19:12-14; 51:10; 119:36; 141:4).

Descobrir algo é expor, divulgar, revelar ou mostrá-la: um tolo tira grande alegria e satisfação em expor, divulgar, revelar e mostrar o seu próprio coração. Falar dos seus pensamentos e opiniões é a sua grande satisfação, e ele alegremente passará a sua vida toda fazendo isso. Ele não encontra alegria ou prazer em aprender a sabedoria ou obter o entendimento. Ele está mais satisfeito com os seus próprios pensamentos e ele acha que o resto do mundo deveria ouvi-lo.

Imagine, uma alma humana entra na vida sem ao menos o entendimento de evitar que se suje com os seus próprios excrementos, mas rapidamente descobre com grande satisfação como revelar, com audácia, a sua opinião aos outros. Que depravação é o coração humano! E estas opiniões são exaltadas hoje em dia! Crianças são entrevistadas em colégios e universidades a respeito de seus pensamentos. Atores e atletas são solicitados a darem suas opiniões em questões políticas e morais. Pesquisas são realizadas para promover a opinião mais popular do coração humano sobre vários assuntos. Isto é insanidade! Historiadores, filósofos, educadores e sociólogos nos dizem que somos a geração mais esclarecida do mundo. Mas a loucura e a demência da adoração do coração estão sendo promovidas por todos os lados. A humanidade verdadeiramente afundou num inferno moral, antecipando-se ao encontro marcado para a sua eternidade.

Essas tagarelices profanas e vãs atualmente são consideradas como afirmações nobres e aceitáveis.

Eu tinha que ser fiel ao meu coração. Eu não estava sendo honesto comigo mesmo. Meu coração me disse que ele era o tal. Eu me senti tão bem; só tinha que dar certo. Meu coração não estava mais naquilo. Jovem, siga o seu coração. Eu sabia no meu coração que isso era verdade.

Considere essas afirmações à luz do nosso provérbio. Todas estas frases são o insano disparate e as tolices de um povo mimado e obcecado pelo amor próprio sem levar em conta a verdade e a justiça. A humanidade foi para o inferno, de bom grado e arrogantemente.

Considere os educadores depravados que viram tudo de cabeça para baixo. Os professores não dizem mais, "Isto é verdade." Ou "Isto está correto" ou "Hoje eu quero lhes ensinar algo novo." Eles perguntam, "LaJohn, o que você acha?" e "Barbie, o que você faria?" As discussões em classe são um monte de corações egoístas, procurando descobrir a si mesmos, e é o que sendo exaltado como um instrumento de aprendizado! "Classe, vamos compartilhar os nossos pensamentos sobre este assunto e vamos respeitar as opiniões dos outros."

Ouviu-se de uma típica jovem colegial dizendo, "Eu adoro o Dr. Freud; ele pensa do mesmo jeito que eu neste assunto. Ele até mesmo sugeriu que eu desse as duas próximas aulas. Não é maravilhoso?" Isto é pior do que aquele ditado sobre o cego guiando cego; o caso aqui é o de um depravado dirigindo o depravado.

O que é que conseguimos deste "compartilhamento de idéias"? A coruja malhada (uma espécie da América do Norte) é mais importante do que crianças que ainda não nasceram; sodomia é um estilo de vida aceitável; salvar árvores na Venezuela é mais importante do que salvar um casamento; crianças têm direitos, mas o locador não tem; odiar é errado a não ser que o odiado seja um crente na Bíblia; música rap e pornografia são arte; o islamismo é uma religião de paz e amor; crianças podem tomar as suas próprias escolhas até no que diz respeito a pais divorciados: e prepare-se, o maior amor de todos é o amor a si mesmo! Claro!

Isto não é educação, isto não é instrução ou treinamento. Isto é alimentar com o fertilizante do rápido crescimento a mais perigosa erva daninha no universo - o coração humano. Ninguém vai dizer nada? O imperador não está vestido! Ele está peladão e é horrível!

Morais absolutos se foram; a verdade desapareceu (Sl 12:1-2; Is 59:12-15; Os 4:1-2). Éticas situacionais e preferências pessoais reinam - Faça o que quiser; apenas seja honesto com o seu coração. Salve-nos, Senhor (Jr 5:1; Ez 22:30)!

Seria mais inteligente adorar a lua, pois o adorador lunar pelo menos está buscando o que é mais alto do que ele próprio e do resto da sua raça ignorante!

Homens sábios desejam verdades absolutas da mais alta autoridade e Deus nos deu isso nas Suas escrituras. Que privilégio é ouvir uma pregação da sã doutrina da Bíblia! O que Deus o Criador diz a respeito de um assunto é o que devemos ansiosamente buscar e procurar de todo o nosso coração! Mas o tolo rapidamente vende verdades a um professor que lhe dará fábulas agradáveis ao seu próprio coração depravado e de ouvidos com comichão (Is 30:10; IITm 4:3-4).

Um dos mais nobres adesivos de para-choques hoje em dia, diz, "Frequente uma igreja de sua escolha neste domingo". Sim, a frequência à igreja é boa. Mas se a igreja é para adorar a Deus, a escolha Dele não é o mais importante? Essas almas enganadas dizem mais ainda, "Eu me sinto confortável aqui; eu não gostava do espírito da minha antiga igreja. O pregador estava sempre nos dizendo o que deveríamos fazer. Aqui o meu coração está em paz." E então. Isto não é uma análise profunda e significativa?

Leitor, o seu coração é a coisa mais enganosa que você jamais vai encontrar (Jr 17:9). Ele mente p´ra você muitas vezes, todos os dias. Sua única segurança é a Palavra de Deus, que você deve obedecer não importando o que o seu coração pense (Dt 29:29; Sl 119:128; Is 8:20; ITm 6:3-5; IITm 3:16-17). O Senhor o desafia a comparar a Sua palavra com os sonhos dos homens (Jr 23:28-29).

Um pai moderno poderia corajosamente indagar de sua filha, "Barbie, o que você gosta a respeito de LaJon?" Qual é a resposta de uma mente passada por uma lavagem cerebral? "LaJon me entende mais do que qualquer outra pessoa que eu jamais conheci." Este é um engano que conduz à perdição! Barbie não entende nem mesmo a si própria, e LaJon certamente não a entende. Pois os tolos não se agradam de entendimento! Eles simplesmente se sentem feliz quando satisfazem a luxúria um do outro - emocional, mental, sexual, ou outro.

Os pais cristãos tem o dever de ensinar seus filhos a respeito do perigo venenoso dos seus próprios corações. As crianças devem ser ensinadas a rejeitar seus pensamentos e, ao invés disso, amar a lei do Senhor (Sl 119:113). Pais que estimulam os seus filhos a expressarem opiniões está brincando com o fogo do inferno, e isto voltará para queimá-los. Eles devem ser ensinados, com toda a bondade, que suas opiniões são menos do que imprestáveis e que somente a opinião de Deus é que conta.

Crianças devem ser ensinadas aquilo que devem pensar; não simplesmente pensar ou como pensar. Eles devem ser ensinadas a se regozijarem na palavra perfeita e infalível de Deus, como é interpretada por aqueles que Deus colocou acima deles, pais e pastores (Sl 119:128; Ef 6:1; Hb 13:7). Isto é o que se chama de treinar a criança no temor do Senhor - a fé absoluta de que só as Escrituras são verdade.

A livre expressão de opiniões por parte de crianças reduz a sua família ao mais baixo denominador comum da raça humana - o coração humano depravado no seu estado mais ignorante. Você estará dando lugar ao diabo, e você terá que pagar um alto preço para manter a paz da família, pois o inferno está no coração depravado de cada criança descente de Adão (Tg 3:14-16; 4:1-5).

Existem outras duas lições que podemos extrair do nosso provérbio de hoje. Devemos odiar os nossos próprios pensamentos (Jó 42:1-6; 43:1-5; Sl 73:1-22; 131:1). Pare de pensar; comece a orar! E nós devemos rejeitar os tolos que encontrarmos os quais amam os seus próprios pensamentos (Pv 14:7; Mt 7:6; ICo 15:33).

Leitores sábios reagirão a este provérbio com a oração, "Senhor, sonda-me e conheça o meu coração. Veja se há em mim qualquer caminho mau. Salva-me do meu tolo coração. Cria em mim um coração limpo. Abra o meu coração para Ti e para a Tua palavra como fizeste com o coração da Lídia. Faça com que o meu coração volte a Ti. Que nenhum pecado tenha o domínio sobre mim. Me dê o Teu entendimento. Ensina-me os Teus estatutos. Guia-me pelo caminho reto. Amém."