Provérbios 17:7

Ao insensato não convém a palavra excelente; quanto menos ao príncipe, o lábio mentiroso!

Play Audio

As suas palavras são compatíveis com o seu caráter, sua conduta e a sua posição? Você causa prejuízo a si mesmo se você fala bem, mas a sua vida não dá sustentação às suas palavras. Pior, ainda, quando você ocupa uma posição de direção e não é escrupulosamente honesto. A lição é simples, faça com que as suas palavras e suas obras sejam boas, para que haja compatibilidade.

A fala excelente só atrai quando é proferida por um homem sábio (Ec 10:12). Tolos, conhecidos pelas suas tolices generalizadas, quando procuram aparentar nobreza ou sabedoria só conseguem irritar as pessoas pela sua presunção e hipocrisia. Pior, ainda, como indicado pelo comparativo ''quanto menos'', acima, quando falada por uma autoridade que não tem altas considerações pela honestidade e pela verdade (Pv 16:12).

Geralmente, a maneira de falar é uma boa medida de uma pessoa, fazendo com que a fala quando incompatível com suas ações é repugnante. Mas o caráter e a conduta geralmente falam mais alto. O pior dos homens pode soar digno e virtuoso por um instante, mas o mais respeitável por palavra ou por posição pode revelar um coração mau pela prática da fraude ou da mentira. Até mesmo a criança é conhecida pelo que faz, não pelo que fala (Pv 20:11).

Boas palavras ou discursos bonitos partindo de homens ignorantes ou ímpios são revoltantes aos sentidos, pois as duas coisas são inteiramente incompatíveis. Homens tolos e ímpios não têm a determinação ou a conduta para justificar um aconselhamento ou ocupar um cargo de liderança e, por isso, devem ser ignorados e rejeitados (Pv 17:16). Os esforços deles para se integrarem numa discussão onde haja homens sábios e prudentes são profanamente rudes.

Quando uma pessoa ocupa uma posição de autoridade, suas mentiras são ainda mais repulsivas! Um líder ou um governante está nessa posição para o conforto, liderança, prosperidade e segurança daqueles que estão sob sua autoridade. Mas a desonestidade destrói a confiança naqueles que exercem o poder, deixando os homens vulneráveis, e perverte a justiça. A atribuição celestial concedida traz consigo um alto chamado para a integridade.

Homens nobres e governantes nunca devem mentir, porque isto é uma mancha no seu caráter, na sua reputação e no seu cargo, que deveria ser considerado por todos como sendo uma posição de fidelidade e de sóbria honestidade. Engano ou mentira de qualquer forma é muito impróprio para qualquer pessoa numa posição de poder e de influência. O privilégio de autoridade e de liderança traz consigo a responsabilidade pela verdade.

Platão, o homem sábio do mundo, ensinou que os príncipes têm o direito de mentir decorrente do privilégio do ofício, o oposto da advertência de Salomão. De quem você quer aprender? Um filósofo pagão ou um Pregador inspirado (Ec 12:9-11; ICo 1:19-20)? Governos tem frequentemente afirmado ou dado a entender, "Qui nescit dissimulare, nescit regnare" ou seja, ''aquele que não sabe como dissimular não sabe como reinar''. Mas são cegos guiando cegos, e eles e os seus seguidores cairão numa vala de problemas e de destruição (Mt 15:12-14).

Felizmente, tem havido governantes sábios que conhecem o valor da veracidade do cargo. Luiz IX da França (1214-1270), disse: "Se a verdade for banida do restante do mundo, ela deve ser preservada no peito dos príncipes." E o rei Alfonso de Aragão, que leu a Bíblia inteira quatorze vezes, declarou: "Uma palavra do príncipe deve dar mais segurança do que o juramento de uma pessoa privada. " (Pv 16:10)

Fidelidade, honestidade e verdade preservam tronos e líderes, para que os que estão sob autoridade encontrem conforto, paz e segurança na convicção das palavras dos seus governantes. Grandes reis se alegram na justiça e na maneira correta de falar que flui de um coração puro (Pv 16:13; Pv 22:11). Eles sabem que a verdade preservará seus reinados (Pv 12:19), e que as mentiras corromperão sua corte (Pv 29:12).

Só houve um rei cujos lábios nunca chegaram perto de mentir - Jesus Cristo - a Fiel e Verdadeira Testemunha (Ap 1:5; 3:14; 19:11). Ele é a Verdade (Jo 14:6). Ele é a Palavra da Verdade (Tg 1:18). Ele trouxe a graça e a verdade, e deu testemunho da verdade (Jo 1:14.17; 18:37; Rm 15:8). Em comparação, Davi e a sua família empalidecem (IISm 23:1-5).

Que todo aquele que clama pelo nome de Jesus Cristo despreze e rejeite todas as exagerações, desonestidade e mentiras, especialmente se ocupa uma posição de autoridade de pais a presidente. Que se deem ao trabalho de fazer as coisas aberta e visivelmente honestas diante de todos os homens. Pais precisam ser impecavelmente honestos para guardarem os corações e mentes de seus filhos. Pastores também precisam ser assim para manterem os seus ouvintes (IICo 8:20-21; Tt 2:7 e 8).

Que todas as pessoas que clamam pelo nome de Jesus Cristo deixe a tolice e o pecado, para que não polua e manche a religião cristã com a sua hipocrisia. Por que deveria a preciosa verdade do evangelho de Cristo ser poluído pelos lábios de um tolo (Ez 20:39; IITm 2:19)? O Senhor conhece os que lhe pertencem. E mais: “Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor." A hipocrisia é a maior praga sobre a única religião verdadeira por aqueles que confessam com os seus lábios e desmentem com suas vidas (Is 29:13; Ez 29:13; Mt 15:7-9).