Provérbios 16:24

Favo de mel são as palavras suaves: doces para a alma e saúde para os ossos.

Play Audio

Palavras bondosas e agradáveis são uma sobremesa para qualquer ocasião. Elas entram pelos nossos ouvidos e almas com doce prazer, e animam os nossos corações e até os nossos passos. Os nossos rostos brilham pelo efeito instantâneo, e a energia e a vitalidade são rapidamente restauradas aos desanimados. Podemos extrair tais palavras do fino ar pelos nossos lábios quando a sabedoria está guiando a nossa maneira de falar (Pv 16:23).

Caro leitor, as suas palavras estimulam a sua saúde? Você cura os outros pelo bondoso alento, sábio conselho, e o suave conforto? Ou suas palavras são como a espada penetrante (Pv 12:18)? Você deixa os outros se esvaindo em sangue pelas suas palavras cáusticas, críticas, calosas e condenadoras? E em seguida coloca sal por cima, quando somos instruídos para só temperar a nossa maneira de falar com ela (Cl 4:6)?

O bom perfume alegra o coração em apenas um bilionésimo de segundo; e as palavras bondosas fazem o mesmo, quando um amigo dá doces conselhos do seu coração (Pv 27:9). Ó preciosa dádiva da maneira de falar. As palavras certas na hora certa são realmente lindas (Pv 15:23). Veja os comentários de Provérbios 25:11. Há grande poder na sua língua, caro leitor (Pv 18:21). Como você vai usá-la hoje?

Em nossa sociedade industrial e sintética, muitos não conhecem a doçura ou as propriedades saudáveis de um favo de mel. Qual foi a última vez que você comeu um pouco? Mas para a sua informação, as abelhas produtoras de mel de Deus polinizam plantas e também produzem uma doce satisfação com fascinantes nutrientes.

O mel é um exuberante alimento que Deus criou para o nosso benefício (Pv 24:13). Ele descreveu Canaã, a maravilhosa terra da promessa, como uma terra que mana leite e mel (Êx 3:8; Dt 8:7-9). O maná que Ele deu a Israel durante quarenta anos tinham o gosto de biscoitos feitos com mel (Êx 16:31).

Reis enviavam o mel como presente (IISm 17:27-29), e, certa vez, ele aclarou os olhos do príncipe Jônatas (ISm 14:27). João Batista sobrevivia comendo mel e também gafanhotos; (Mt 3:4) Jesus o comeu com manteiga - dois alimentos importantes de Israel - em seus anos de desenvolvimento (Is 7:15), e Ele o comeu depois da sua ressureição (Lc 24:42-43). E inspirados amantes o usaram para descrever a doçura dos seus atos amorosos (Ct 4:11; 5:1).

Ninguém pode negar que o mel é doce. Ele é duas vezes mais doce do que o açúcar! Nas receitas que pedem açúcar, só metade da quantia de mel é necessária. Uma pessoa satisfeita o rejeitará (Pv 27:7)!

Mas você conhecia estes fatos? O favo de mel contém quatro alimentos: mel, pólen de abelha, própolis de abelha e geléia real. O mel, por si só, tem uma longa história de uso para muitas doenças em muitas nações. Já o tomou com limão ou uísque para uma garganta inflamada? Já uso o mel da sua região para combater alergias? E existem mais dúzias de usos terapêuticos.

O pólen, que é coletado nas pernas das abelhas, às vezes é descrito como o alimento perfeito. Contém 96 nutrientes, é rico em zinco, cálcio, magnésio e ferro. Ele pode lhe energizar, lhe dar uma sensação de bem estar, aumento da sua capacidade intelectual, e completar qualquer vácuo nutricional na sua dieta.

Geléia de própolis, uma resina de cera que as abelhas usam com diversos objetivos, é rica em vitamina "B", minerais e bioflavonóides. Não há nada igual a ela como antibiótico. Ela estimula a glândula timo para produzir células brancas de sangue para combater ou eliminar vírus, venenos e dejetos desnecessários.

Geléia real, é escondida por algumas abelhas enfermeiras em cada colméia, é o alimento exclusivo da rainha mãe. Este alimento espantoso faz com que ela viva quarenta vezes mais do que as abelhas operárias e produz o dobro do seu peso em ovos a cada dia, apesar de geneticamente serem idênticas a eles! Ela contém uma alta concentração de ácido pantotênico e muitos outros nutrientes complexos.

A partir do fato de que Deus disse que era saudável e o recomendou nas referências acima, nós cremos nisso (Pv 14:23; 16:24). Mas é um prazer ler a respeito de pesquisas que confirmam as palavras de Salomão há 3000 anos! Dê a glória a Deus! O Criador revela a verdadeira ciência.

O mel é precioso. É doce ao nosso paladar, aviva os nossos olhos, energiza os nossos corpos e tem muitas propriedades nutritivas para a saúde como um todo. As nossas palavras deveriam ter o mesmo efeito! Elas deveriam fazer com que os outros se regozijem e fiquem felizes de nos ter ouvido falar, e eles deveriam edificar a outros de maneiras proveitosas (Ef 4:29). Escolha boas palavras para dizer a alguém hoje!

A nossa maneira de falar deve ser sempre agradável, com uma só pitada de sal (Cl 4:6; Ec 10:12). Tal maneira de falar confirma o nosso provérbio. Mães sábias dizem aos seus filhos, "Se você não pode dizer alguma coisa boa, então não diga nada." Pois os pais adoram ouvir palavras retas (Pv 23:16; 15:26). Os nossos ferrões só devem ser usados como um último recurso, assim como os das abelhas.

Mas a doce maneira de falar é para homens? Positivamente, sim! Deus criou o homem e inspirou o nosso provérbio, e Salomão, o filho de Davi os escreveu. Eles eram efeminados? Davi corajosamente matou Golias e conquistou o coração de Jônatas pels suas palavras agradáveis, tudo no mesmo dia (Pv 22:11; ISm 18:1)!

O nosso Senhor poderia fatiar e confundir os fariseus sempre que precisou, mas os Seus discípulos O conheciam pela sua maneira agradável e saudável de falar (Sl 45:2; Is 50:4). Suas palavras agradáveis em Nazaré fez com que toda a multidão se maravilhasse (Lc 4:22). E o coração de dois dos seus discípulos ardeu alegremente ao ouvir Suas preciosas palavras no caminho de Emaús (Lc 24:32).

Aspereza desnecessária no falar não é sinal de masculinidade ou do Espírito de Deus; ela é vendida pelo diabo para aqueles cujos corações não andam na retidão. Ela flui de um coração endurecido pelo ódio e pelo orgulho, pois da abundância do que está no coração, a boca fala (Mt 12:34). Davi repreendeu aos seus sobrinhos por serem duros demais; (IISm 3:39) E Jesus fez o mesmo com Tiago e João (Lc 9:55). Nenhum deles tinha o espírito ou a língua do nosso Senhor.

Uma língua amarga e picante é um fogo do inferno; é um mundo de iniquidade; é um mal desgovernado, cheio de veneno mortal (Tg 3:2-12). Nenhum homem é capaz de domá-la por si mesmo. Mas devemos fazer todo o possível para cortá-la das nossas próprias bocas e das de nossas crianças, pela graça de Deus.

Homens como João Batista e Elias tinham missões especiais, e não sabemos se eles tenham sido tão ásperos em particular. Provavelmente não eram. Eles não são exemplos da maneira comum de falar. Nós devemos escolher a lei da bondade para governar a escolha de palavras (Pv 31:26).

Quem pode negar que as palavras de Deus são doces? Não são elas mais doce do que o mel (Sl 19:10; 119:103)? Elas não são motivos de alegria e de regozijo em nossos corações (Jr 15:16)? Elas são tão doces que descrevemos aqueles que as falam como tendo pés maravilhosos (Rm 10:15)! Você pode se lembrar da doçura das suas almas ao ouvir o verdadeiro evangelho com entendimento?

Há grande prazer na língua, caro leitor (Pv 18:21). De que forma você vai usá-la hoje? Você comerá o fruto de como você a usa - vida ou morte. Todo homem assumirá a sua própria responsabilidade.