Provérbios 16:13

Os lábios de justiça são o contentamento dos reis, e eles amarão o que fala coisas retas.

Play Audio

Seus lábios podem lhe promover com mais rapidez do que qualquer outra coisa, incluindo o seu coração e mente, apesar deles serem necessários (Pv 22:11)! Não importa o quanto de bom e virtuoso é o seu coração e a sua mente, eles se revelam melhor pela linguagem agradável e verdadeira. Reis eram grandes e poderosos no tempo de Salomão, mas a aprovação e a afeição deles poderiam ser obtidas com palavras justas. Dê a Deus a glória por este maravilhoso provérbio e sua lição a favor da linguagem piedosa.

Como um provérbio, você deve entender que os reis a que ele se refere são reis nobres e justos. Reis profanos e maus têm pouca consideração pelas coisas boas, incluindo a linguagem sábia e virtuosa. Muitos reis foram suficientemente tolos ao nomearem bobos da corte e maus conselheiros! Mas até mesmo os reis pagãos podem apreciar palavras humildes e sábias, como foi o caso de Faraó ouvindo José e Nabucodonosor ouvindo a Daniel (Gn 41:38-45; Dn 1:18-21).

Considere a força e a glória deste provérbio. Ele não ensina como ganhar o favor de amigos, família, vizinhos ou colegas. Ele ensina como conquistar a aprovação e a afeição de monarcas gloriosos - o número deles no plural indica vários! Reis tinham enorme glória, poder e riqueza. Eles detinham o poder de vida e morte. O favor deles era uma grande bênção (Pv 16:14-15; 19:12; 20:2). Daniel continuou durante o reinado de vários reis caldeus, um rei medo, e por um tempo de Ciro, o persa (Dn 1:18-21; 5:29-31; 6:1-3,28)!

Considere os detalhes do provérbio. Reis piedosos se deleitavam com uma boa linguagem: eles amam as palavras certas ditas no tempo certo (Pv 10:20; 15:23; 16:24; 25:11). Mas eles não se deleitam só com palavras boas, eles amam os homens que as falam! As boas palavras e a linguagem discreta agradam às suas mentes; aqueles que assim falam ganham os seus corações (Pv 12:14; 14:35; 24:26). Salomão tinha ouvido falar como o seu pai, Davi, tinha conquistado Jônatas pelo seu modo de falar (Pv 22:11; ISm 18:1-5).

Leitor, os reis o amariam? As suas palavras são apropriadas, animadoras, compassivas, discretas, instruidoras, encorajadoras, poucas, gentis, graciosas, úteis, bondosas, misericordiosas, modestas, prudentes, justas, sóbrias, agradecidas, verdadeiras e sábias? Ou você difama, reclama, critica, fala tolamente, exagera, graceja, mente, murmura, difama, fofoca e mexerica?

Uma promoção está tão perto quanto a sua boca. Vida e morte estão no poder da sua língua (Pv 10:31; 12:18; 18:21). Se você deseja que reis se encantem com a sua linguagem e amem a sua pessoa, então ensine a sua boca a sabedoria do rei Salomão (Pv 10:19; 15:28; 16:23; 17:27-28).

Deus deu a Jesus Cristo a língua dos sábios (Is 50:4). Suas palavras eram a pura verdade e bondade (Sl 45:2; Lc 4:22; Ap 3:14). Nenhum homem jamais falou como Ele (Jo 7:46)!