Provérbios 15:18

O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta.

Play Audio

Alguns homens brigarão num piscar de olhos! E são eles próprios quem dão, às vezes, a piscada! Este espírito de luta vem da natureza depravada herdada de Adão (Tt 3:3; Rm 1:29-31; 3:13-18). Este espírito de luta tem como base o orgulho e o egoísmo do homem, o que exige a preeminência acima dos outros (Pv 13:10; Fp 2:3-4). Ele está baseado numa raiva apressada de um espírito impulsivo, que reage instantaneamente ao descrédito ou domínio dos outros e a vingança por qualquer ofensa ou erro (Tg 4:1-5).

Um homem irado se irrita rapidamente. À menor provocação, ele reage imediatamente contra a pessoa que o ofendeu. É claro que isto também expõe a parte ofensora, frequentemente, a uma grande ira. Portanto, aquilo que poderia ter sido resolvido facilmente ou simplesmente ter desaparecido se torna um conflito de grandes proporções. O homem irado provocou uma briga que não tinha necessidade de ser. A sua rápida ira aumenta os conflitos aonde quer que ele for.

Entretanto, um homem que demora a se irar pode acalmar as emoções e por um fim às brigas. Ao invés de reagir com pressa ou violência, de uma maneira ponderada e paciente ele absorve as ofensas dos agressores e faz com que a fúria se dissipe. É impossível brigar com um travesseiro! Precisa-se de duas pessoas para que se possa brigar, o que é certo, e por isso aquele que demora a se irar termina um conflito ao acalmar o escalonamento das emoções e dos ataques. Sua falta de raiva apazigua o conflito que surgiu por alguns instantes.

Homens irados são tolos, pois eles desafiam a sabedoria pelas suas explosões emocionais (Pv 14:17,29; Ec 7:8-9). É perigoso tê-los por perto porque eles começarão e agravarão conflitos entre os homens (Pv 17:14,19; 19:19; 29:22). Você deve evitar e rejeitar tais homens, porque eles corromperão seu nobre espírito que odeia a briga (Pv 14:7; 22:24-25; ICo 15:33).

Homens sábios aprenderão a controlar os seus espíritos e evitar se irarem (Pv 14:29; Tg 1:19-20). Salomão disse que tal homem era mais importante do que aquele que defendesse sozinho a uma cidade (Pv 16:32). Um homem glorioso diferirá a sua raiva e dará a volta por cima das transgressões dos outros (Pv 19:11). Ele não quer brigar. Palavras suaves operam maravilhas com pessoas iradas (Pv 15:1).

Jesus Cristo ensinou que o oferecer a outra face era uma resposta piedosa à provocação (Mt 5:38-42). Ele condenou a raiva sem uma justa causa (Mt 5:21-26). Os grandes no reino do céu são pacificadores, não os briguentos (Mt 5:9; Tg 3:17-18). Eles são os meigos da terra e se regozijam em ceder aos outros sempre que for possível.

O ódio desperta o desentendimento pela raiva; mas o amor cobre todas as ofensas e pecados que surgem entre os homens (Pv 10:12; IPe 4:8). Jesus Cristo deu o maior exemplo do que é ser lento para irar durante o seu escandaloso julgamento e crucificação (IPe 2:19-23; Mc 15:5). Você é como ele?