Provérbios 15:6

Na casa do justo há um grande tesouro, mas nos frutos do ímpio há perturbação.

Play Audio

Abrigo e sustento com amor e paz é melhor do que renda crescente com dor e dificuldades. Um homem justo desfruta de uma vida calma e feliz com as suas necessidades supridas, mas um homem perverso tem dor e problemas mesmo com acréscimos financeiros. O provérbio compara as consequências do justo viver com aqueles que levam um estilo de vida ímpia.

Muito dos provérbios de Salomão contém duas sentenças gerando uma comparação ou um contraste, e o significado correto e as lições são encontradas ao se comparar cuidadosamente essas sentenças. Neste provérbio você deve ver: uma casa comparada com renda, o justo comparado com o perverso; e muito tesouro comparado com problemas. O viver justo faz a diferença.

Salomão, tanto rei quanto filósofo (Pv 1:1-6; Ec 1:1-3,12-14), ensinou que intangíveis como amor, paz e justiça são superiores aos tangíveis como renda, bens, refeições luxuosas, etc. Ele frequentemente afirma a superioridade clara para que você não deixe de enxergar (Pv 15:16-17; 16:8; 17:1; 21:19; 28:6; Ec 2:26; Ec 4:6; Ec 7:1). Estas prioridades para o viver não tem preço.

Aqui, de modo obscuro ele ensinou a mesma lição - mais como um verdadeiro provérbio, do que obscuro dito do sábio (Pv 1:6). A lição é simples. Ao homem justo podem faltar as rendas dos perversos, mas ele vive em sua casa com tanto tesouro que o homem perverso não pode nem imaginar - uma consciência limpa, a presença de Deus, amor, paz, quietude, uma herança eterna que se aproxima, etc.

Homens perversos podem prosperar agora, mas eles passarão uma eternidade no inferno (Sl 17:14-15; 73:18-20; Mt 16:26). Enquanto homens justos podem não ter um extrato impressionante ou a adoração do mundo agora, Deus os abençoa com favor e vantagens muito maiores, tanto nesta vida como na por vir (Pv 3:31-33; 10:22; 13:25; 23:17-18; Mc 10:28-31).

Homens perversos, independente de riquezas, com frequência têm conflitos e problemas em suas vidas que torna as suas vidas na terra como um inferno também. Cobiça e ganância não permite que descansem. Medo de perda por muitos meios os mantém nervosos e perturbados. A brevidade de vida os faz lembrar que deixarão tudo que têm para algum tolo que vem depois deles que o desperdiçará.

Qual a lição a ser extraída? O viver justo é muito melhor do que o viver pecaminoso, independente da renda. Existe outra lição? Santidade com o contentamento é grande ganho (Pv 30:8-9; ITm 6:6-10). Qual é a outra lição? Um mistério e sabedoria do evangelho é que o justo efetivamente já possui tudo (Rm 8:17; ICo 3:21-23; IICo 6:10)! Qual é a recompensa do justo viver? Bênçãos intangíveis de Deus, de outros e do seu próprio coração, agora, e bênçãos tangíveis no céu no futuro (Pv 14:14; Rm 8:18-23; IICo 4:17-18)!