Provérbios 13:7

Há quem se faça rico, não tendo coisa nenhuma, e quem se faça pobre, tendo grande riqueza.

Play Audio

Ser rico em algumas coisas é melhor do que ser rico em outras coisas. Você conhece a diferença? Moisés trocou as riquezas e os prazeres pela aflição e pela repreensão (Heb 11:24-26). Porque? Ele preferiu a recompensa de Deus mais do que os tesouros do Egito. Ele escolheu o povo pobre de Deus acima da riqueza da família de Faraó. Ele conhecia este provérbio! Você vai aprendê-lo?

Considere Moisés (At 7:20-23). Ele era bem inteligente desde o seu nascimento. Ele aprendeu toda a sabedoria dos Egípcios e era poderoso em palavra e em ação. Ele dispunha de todas as oportunidades de um membro da família real da maior nação da sua época. Mas no vigor dos seus quarenta anos ele tomou uma grande decisão para a sua vida. Ele escolheu o reino de Deus acima do mundo!

Ele perdeu? De maneira nenhuma! Ele gastou oitenta anos andando com Deus, ouviu o EU SOU O QUE SOU de dentro de uma sarça ardente, viu as costas de Deus, falou face a face com Deus, e dirigiu o Seu povo para fora do Egito. Suas riquezas aqui e na eternidade de longe excederam o corpo afogado de Faraó no Mar Vermelho e de sua nação destruída e os tesouros esvaziados no Egito!

Que escolha custosa você tomou para seguir a Jesus Cristo? Nenhum? Então você não é um dos Seus discípulos (Lc 14:25-33). Se você não avaliou o preço e o pagou, você não é Seu discípulo. Se você não está disposto a avaliar e a pagar o preço, você nem O conhece.

O nosso provérbio descreve dois homens. O substantivo "o homem" e o pronome "ele" são entendidos duas vezes neste provérbio. A figura de linguagem chamada de elipse deixa fora palavras pela beleza e pela força da frase. Colocando as palavras nos seus respectivos lugares temos o seguinte:

Há um homem que se faz rico, não tendo ele coisa nenhuma, e um homem que se faz pobre, tendo ele grande riqueza.

O primeiro homem escolheu ser rico, mas não tinha nada. O segundo homem escolheu ser pobre, mas tinha grande riqueza. A lição diz respeito à diferença entre a riqueza mundana e a riqueza celestial. Dois tipos de riqueza estão sendo considerados. O primeiro homem escolheu a riqueza mundana e o segundo a riqueza celestial. O primeiro homem perde e o segundo homem ganha. Você vai escolher o que caro leitor? Veja os comentários de Provérbios 10:15.

O que são riquezas celestiais? Jesus as chamou de "verdadeiras riquezas" (Lc 16:11). Elas são a presença de Deus, o fruto do Espírito em sua alma, sabedoria e verdade por revelação, e vida eterna. Estas coisas significam alguma coisa para você? Elas são as coisas mais valiosas para você? Satanás não quer que você as conheça e muito menos que você as experimente.

Considere apenas algumas das comparações encontradas em Provérbios, onde Salomão ensinou o seu filho que algumas coisas são melhores do que as outras. Ele mostrou ao seu filho a verdadeira riqueza!

Sabedoria é melhor do que o dinheiro (Pv 3:14; 8:11,19; 16:16). Um pouco com o temor do Senhor é melhor do que tesouros com dificuldades (Pv 15:16). Uma salada com amor é melhor que uma costeleta tenra com ódio (Pv 15:17). Um pouco com retidão é melhor do que o muito com a injustiça (Pv 16:8). Humildade com os humildes é melhor do que a riqueza com os orgulhosos (Pv 16:19). Uma bolachinha de água e sal com tranquilidade é melhor do que o filé mignon com conflitos (Pv 17:1).

Considere outras comparações. Um peso eterno de glória excede em muito a nossa curta e leve aflição aqui (IICo 4:17). Os prazeres da vida podem facilmente serem vistos, ouvidos e considerados; mas Deus tem preparado coisas que ultrapassam os nossos sentidos (ICo 2:9).

Davi, com riquezas e prazeres reais, considerou que ser um porteiro na casa de Deus valia muito mais do que viver com os ricos e famosos (Sl 84:10). Ele estava doido? Ou era muito sábio?

Paulo, cuja estrela subia rapidamente em Jerusalém, abandonou tudo para seguir a Jesus Cristo; (Fp 3:4-11). Apesar de ter sofrido horrivelmente por escolher a Cristo (IICo 11:22-28), ele estava confiante de que seria coroado no céu (IITm 4:7-8). Ele mal conseguia esperar o estar no céu!

Caro leitor, você deve escolher um! Você não pode ter as riquezas mundanas e as celestiais, juntas. Jesus disse, "Ninguém pode servir a dois senhores," (Mt 6:24. Você não pode ser um amigo do mundo e de Deus (Tg 4:4). Se você ama o mundo, você não ama a Deus (IJo 2:15).

Não há homem algum que tenha abandonado as coisas desta vida e que não tenha recebido mais dessas coisas aqui e que receberá vida eterna no céu (Mc 10:28-31)! O nosso Pai nos tem prometido tudo aquilo que os outros buscam se colocarmos o Seu reino e a sua justice em primeiro lugar (Mt 6:33).

Vá em frente! Escolha as riquezas mundanas! Salomão descreveu o homem que coloca a sua vista nas riquezas e as consegue (Ec 5:10-17). Ele não está satisfeito; as despesas aumentam tão rápidos quanto as receitas e, por isso, ele só consegue olhar para a receita, mas não desfruta dela; ele se preocupa a respeito dela continuamente; ele procura preservá-la, mas perde-a de qualquer forma; ele termina sem nada para deixar ao seu filho; ele vai para a sepultura da mesma forma que aqui chegou - nu; na realidade, ele trabalhou para o vento; e toda a sua vida é trevas, tristezas e raiva! Sabe o nome que o Pregador deu para isto? Doença!

Se você procura salvar a sua vida mundana, você a perderá juntamente com a sua vida espiritual (Mt 16:24-25)! Se você perder a sua vida mundana, você obterá as duas! A escolha é simples! Mas a carne é fraca! O mundo é tentador! E Satanás não deseja que você escolha a verdadeira riqueza!

O que é que você abandonou para obter a verdadeira riqueza? Você deixa de lado os prazeres e o tempo livre das noites de sábado para se preparar para as reuniões de domingo? Você deixa de lado a diversão passiva da televisão para guardar os seus olhos de pecarem? Você abandona os seus amigos que roubam a sua alma do caminho da justiça? Você abandona os membros de sua família que se opõe à sua fé? Você desistiria de um emprego onde tivesse muitas oportunidades para poder ser um cristão melhor?

O Senhor Jesus deixou as suas riquezas em glória para se tornar pobre neste mundo. Por que Ele fez isto? Porque o Seu Pai pediu que Ele assim fizesse e Ele viu a enorme recompensa esperando por Ele no céu (Sl 16:8-11; Is 53:12; Lc 24:26; Fp 2:9-11; Hb 12:2)! Está chegando o dia em que todos os sacrifícios desta vida serão infinitamente recompensados. Acredite nisto! Amém.

Aditivo para os Estudantes da Bíblia

É esta a interpretação correta? Há comentaristas que descrevem os homens pobres que fingem ter riquezas para obter popularidade e há homens ricos que fingem ser pobres para enganar. O texto não condena nem um nem outro, portanto, condena os dois. O primeiro é culpado de ser orgulhosos e o segundo é culpado por ser ingrato, dizem eles. Em seguida eles fazem a aplicação espiritual disso. Alguns homens fingem ser espirituais, mas estão mortos; e alguns fingem pobreza, mas são ricos. Eles condenam o primeiro e criticam o segundo.

Nós não podemos ir aonde eles se aventuram. Em primeiro lugar, o texto nem recomenda nem condena e, por esta razão, ficamos sem uma lição. Em segundo lugar, a explicação deles não contém nenhuma sabedoria. Em terceiro lugar, a explicação deles não tem nenhuma outra testemunha escritural. Em quarto lugar, Provérbios continuamente contrasta a riqueza material e a sabedoria. Em quinto lugar, a Bíblia repetidamente ensina a lição acima.

Nós cremos que o provérbio ensina as prioridades corretas, uma das principais lições de todo o livro, que é a aplicação da sabedoria. Alguns homens colocam toda a sua ênfase no sucesso financeiro e profissional, mas não têm conteúdo nela para as suas almas. Eles têm almas magras, são cheios de ansiedade mental, casamentos vazios de amor e não podem levar nada com eles. De fato, eles destroem as suas almas. Mas outros deixarão de aceitar promoções e ganhos mundanos para exaltar a paz, o amor e a justiça em seus negócios. Eles escolhem a pobreza relativa pela verdadeira riqueza de quietude, alegria e justiça. Qual dos dois homens é mais rico?

Homens sábios evitam as riquezas (Pv 30:7-9). Eles sabem que o verdadeiro sucesso é a piedade ao invés do ganho (ITm 6:6). Eles temem obter aquilo que desejam e ter uma alma magra (Sl 106:15). Eles procuram evitar a luxúria tola e danosa das riquezas (ITm 6:7-10). Eles sabem que Jesus Cristo é o maior tesouro (Sl 73:25-26; Is 66:1-2; Mt 6:19-21; 19:24; ITm 6:17-19; II Tim 4:10; Ap 3:17-18). Eles sabem que um homem rico dificilmente entrará no reino dos céus (Lc 18:24). Existem coisas mais valiosas e preciosas do que os ganhos financeiros e um homem sábio faz deles o seu objetivo, mesmo que isso signifique a perda das riquezas que o mundo ama.