Provérbios 12:27

O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser diligente.

Play Audio

Terminar uma tarefa é bom e correto. Homens preguiçosos começam um projeto, mas não o terminam. Eles gostam de caçar, mesmo sendo difícil; mas eles perdem a energia e o foco quando chegam em casa e precisam limpar e processar o animal. Um homem diligente e virtuoso, por outro lado, prepara toda a carne e não descansa até que a mesma esteja embrulhada com cuidado e colocada no congelador.

Caçadores se esforçam para preparar uma caçada. Eles preparam as espingardas, procuram um terreno adequado, preparam uma plataforma espera, escolhem com cuidado a roupa e o equipamento adequado, acordam quando ainda está frio e escuro, carregam a plataforma até bem dentro da floresta e a fixam em uma árvore, e esperam pela caça. Quando conseguem uma, eles se alegram com os amigos, aplicam as primeiras providências necessárias, e a levam até o local onde está o veículo deles, para então desfilarem orgulhosamente pela cidade ao som dos louvores dos seus amigos. O preguiçoso pode até parecer diligente até esse momento.

Mas, quando ele chega em casa, a sua energia desaparece! A carcaça o enche de terror - há muito trabalho a ser realizado! Por isso ele o dá ao seu vizinho como uma grande generosidade, ou o lança numa lata de lixo grande, deixa para os seus cachorros comerem, ou deixa apodrecer na garagem! Em seguida ele encomenda uma pizza para relaxar depois de um árduo dia, com uma refeição bem merecida e uma soneca! Ele nem se dá ao trabalho de limpar a sua arma! Que desperdício! Ele esbanja a bondosa bênção do Senhor no pequeno esforço que realizou.

Mas o homem diligente é diferente. Ele desfruta da caçada, mas sabe que a mesma tem um objetivo. Ele esquarteja, tempera e processa cada pedaço de carne para uso futuro, e ele organizadamente coloca etiquetas e empacota as partes para facilitar o conveniente uso pela sua esposa. E ele cuidadosamente limpa a sua arma para preservar a sua funcionalidade e o seu valor. Ele está agradecido pelo presente da caça e trabalha para tirar total vantagem da bênção do Senhor. Ele toma um pedaço da carne e compartilha com a sua família no jantar.

Que tremenda diferença entre os dois homens! O homem preguiçoso não consegue terminar uma tarefa e descobrir o benefício do trabalho, mas o homem diligente vê o precioso valor em terminar cada etapa e cuidar de uma maneira apropriada cada uma delas e todo o resultado final. Preguiça é tolice, desperdício e destruição! Diligencia é sabedoria, engenhosidade e produtividade! O homem diligente governará (Pv 10:4; 12:24)!

Salomão disse, "Também o negligente na sua obra é irmão do desperdiçador." (Pv 18:9). Mas o homem do nosso provérbio é as duas coisas! A sua preguiça fez com que desperdiçasse o bom favor de Deus. Ele nem teve a nobre ética do trabalho do profano Esaú (Gn 27:30-31).

Cada homem, mulher e criança, todos os dias se defrontam com esta questão no trabalho, em casa, na escola, e numerosos aspectos da vida. Bons projetos são iniciados, mas nem sempre são completados. Interrupções, dificuldade, preguiça e procrastinação impede que sejam terminados. Eles deixam carcaças apodrecidas na garagem que logo, logo vai empestear a casa toda!

Leitor, você já começou qualquer projeto que você deveria realizar hoje para ser produtivo e valorizar as bênçãos do Senhor em sua vida? Ou você vai desperdiçar a bondade Dele deixando a sua tarefa inacabada, o custo do trabalho parcialmente pago, mas o benefício total ainda sendo esperado pelo homem diligente? Existe alegria por um trabalho bem feito ... quando está realizado! Experimente esta sabedoria! Se você continua com esforços parciais, o Senhor retirará a bênção de prover uma caça!

Pais, é dever de vocês ensinarem os seus filhos a autodisciplina de terminar cada tarefa que iniciam. Isto requer treino, acompanhamento e punição; mas isso gerará sucesso e crianças nobres no futuro. Eles nunca serão bem sucedidos na vida, se você permitir que comecem projetos sem terminá-los. Ensine-os esta sabedoria de Salomão, e espere para que o treinamento comece a dar preciosos frutos. Termine este projeto de pais da mesma maneira que você faz com os demais!

Temos também aqui a figura dos cristãos preguiçosos. Eles ouvem as mesmas palavras pregadas para outros. Alguns não se preparam, e por isso ela cai à beira da estrada e o diabo a apanha. Alguns podem até mesmo recebê-la com alegria, mas permitem que os cuidados deste mundo os distraiam. Sem profunda convicção, outros ainda temem a perseguição e consequentemente fogem do dever para com a verdade (Mt 13:19-21). Somente aqueles que diligentemente respondem e produzem frutos são verdadeiros discípulos (Jo 8:31; Jo 15:8; IIPe 1:9).

Quantas vezes lhe foi dado graciosamente, ou com diligência obteve, uma convicção de um sermão, mas depois deixou cair no esquecimento? Que Deus o preserve de tal desperdício! Graça na sua alma que suscita convicção é verdadeiramente preciosa. Não a esbanje! Se apresse com ela! Agora! Não pare de pressionar pelo prêmio do alto chamado de Deus até que você chegue ao fim da estrada! É um fato ensinado pelo Senhor de que o violento se apossa do reino de Deus pela força (Mt 11:12)!

Que Deus proíba você de fazer de Cristo uma profissão para em seguida perder a sua plena recompensa. Homens tentarão lhe enganar e por isso você precisa lutar com seriedade por ele (Cl 2:18; Jd 1:3; IIJo 1:8). Uma batalha está sendo travada pela sua alma, a qual você deve lutar até o fim, para que não venha a ser um rejeitado através da preguiça espiritual (IPe 2:11; 5:8; ICo 9:27; IITm 4:7). Para este fim, você se reúne com outros de forma a serem estimulados, uns pelos outros, para terminarem a carreira (Hb 10:23-25).

O abençoado Senhor não perderá uma só alma entregue ao cuidado Dele (Jo 6:39; Jo 17:3; Hb 2:13). Ah, leitor cristão, você não está feliz pelo fato que o Salvador não conheceu nenhuma preguiça em Sua vida e trabalho? Você está feliz que Ele não deixou um só dos Seus eleitos se perderem? Se Ele tivesse, poderia ter sido você! Ele mergulhou no trabalho: Ele terminou a sua obra (Jo 4:34; 19:30)! Aleluia! Amém!