Provérbios 11:28

Aquele que confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a rama.

Play Audio

O dinheiro não é uma boa fonte de segurança ou de prosperidade. O homem que coloca a sua confiança no dinheiro cairá e será destruído, mas o homem que dá valor a uma vida justa será protegido e prosperado. Apesar de o dinheiro poder ajudar em algumas situações, se Deus o abençoar; justiça pessoal auxiliará em todas as situações, pois ela garante as bênçãos de Deus!

Se um homem pobre tivesse escrito estas palavras, você suspeitaria que ele criticava a riqueza por inveja do estilo de vida do rico. Você poderia desconsiderar suas palavras, porque você saberia que ele não tinha nenhuma experiência com a primeira frase. E o Senhor Deus inspirou a sabedoria!

Salomão ensinou a sabedoria gloriosa pelas prioridades para a vida. Ele disse, "Melhor é o pouco com justiça do que a abundância de colheita com injustiça." (Pv 16:8). Seu pai Davi tinha ensinado que, "Vale mais o pouco que tem o justo do que as riquezas de muitos ímpios." (Sl 37:16). O mundo, o diabo e a sua carne negam estas palavras, procurando ensinar a ganância e a cobiça. O testemunho de Deus, de Davi e de Salomão não são suficientes para que você creia neste provérbio?

O que você fará se o seu médico lhe disser, "Você está cheio de câncer. Não há nada que possamos fazer"? Você gastaria as suas economias para curar uma doença incurável? Você compraria morfina para aliviar a sua dor antes de morrer? Você compraria velas católicas? Ou você colocaria a sua confiança no Deus celestial, Quem livra o justo mesmo em seu leito de enfermidade. (Sl 41:1-3)?

Considere dois homens ricos. Um comeu e bebeu bem todos os dias; mas ele foi para o inferno quando morreu, enquanto que o mendigo que sentava à porta dele foi para o céu (Lc 16:19-25). Outro se gabava a respeito dos planos para construir depósitos maiores para estocar os seus aumentos, mas o Senhor o chamou de tolo naquela noite, e perguntou a ele quem ficaria com o seu patrimônio no dia seguinte (Lc 12:15-21)!

Riquezas não é pecado, mas confiar nelas, é (Sl 62:10)! É a ambição pela riqueza que é fatal (ITm 6:6-11). É humanamente impossível que tais homens sejam convertidos (Mc 10:21-27). Eles tolamente confiam em suas riquezas sem consideração alguma pela morte (Sl 49:6-14). Somente a graça de Deus pode salvar o tolo cuja busca de dinheiro nega Deus como um idólatra (Jó 31:24-28)!

Um homem sábio ora a Deus pedindo para ser salvo da pobreza e da riqueza (Pv 30:7-9). As riquezas são uma dor para obter e guardar, e você não vai poder levá-las com você (Ec 5:10-12; ITm 6:7-8). Homens piedosos colocam Deus em primeiro lugar e os seus negócios em um segundo lugar bem distante (Mt 6:24 e 33). Eles sabem que a verdadeira medida do sucesso é a piedade com o contentamento (ITm 6:6). Quando a riqueza aumenta, eles a gastam para a glória de Deus e para o Seu povo (At 4:34-37; ITm 6:17-19).

O homem justo é como um galho, fortemente ligado a Deus seu Salvador (Jo 15:5). Ele confia em Deus para todas as coisas, e ele produz frutos sem cessar (Sl 1:1-6; Jr 17:7-8). Que diferença entre a folha e o ramo! A folha dura apenas uma estação, e então se vai! O galho, mesmo estando sem folha e parecendo morto durante os invernos da vida, produzirá brotos e flores novamente, alçando os seus galhos ainda mais altos do que havia antes, até ser transplantado para a própria presença de Deus.