Provérbios 11:15

Decerto sofrerá severamente aquele que fica por fiador do estranho, mas o que aborrece a fiança estará seguro.

Play Audio

Odeie riscos! Ame garantias, seguros e segurança! Odeie gastos acima de suas posses! Ame o viver dentro dos seus limites financeiros! O sábio gerenciamento financeiro inclui a redução dos riscos. Somente tolos riem dos riscos e expõe seu patrimônio ou suas rendas a perdas ou responsabilidade contingente. O rei Salomão sabia que o seu filho seria tentado a garantir ou prestar fiança às obrigações dos outros e ele com frequência alertou sobre esse risco tolo em sua vida (Pv 6:1-5; 17:18; 20:16; 22:26-27; 27:13).

Ao ser fiador de um estranho você está garantindo a realização dele de alguma tarefa ou o pagamento decorrente de uma obrigação dele. O exemplo mais comum desse ato tolo hoje em dia é a fiança de empréstimos. Você seria fiador num empréstimo para um estranho? Somente um tolo consideraria tal coisa! Mas o Rei Salomão conhecia o seu filho, sabendo que sendo um príncipe de Israel ele seria tentado por muitos pedidos para ceder a sua assinatura ou o seu selo a estranhos para afiançá-los em uma transação comercial.

O provérbio declara que o risco poderá trazer dores futuras - aquele que for fiador de um estranho vai se queimar. Mas se um homem odeia o risco envolvido numa fiança, ele está certo. Ele reduziu o seu risco financeiro e ele terá mais probabilidade de ser bem sucedido. Um homem sábio reduzirá o risco à sua renda e patrimônio, pois a responsabilidade contingente pode virar contra ele, como é o caso do estranho que não paga e você tiver que pagar por ele (Pv 22:26-27).

Se você precisa ou deseja ajudar alguém, se tornando fiador dele ou garantindo alguma outra forma de responsabilidade, certifique-se de duas coisas. Tenha certeza que você o conhece bem e que pode contar com ele para cumprir suas obrigações. Se certifique também de que você pode arcar com a obrigação sem que isso lhe gere um aperto em seu estilo de vida ou dificulte seu próprio desempenho se você tiver que pagar.

Alguns cristãos rejeitam o seguro - eles entendem que o viver pela fé significa ignorar riscos e confiar em Deus para ajudá-los. Essa é uma heresia tola. Deus espera que os homens usem sua inteligência e força para se protegerem desde que eles confiem em Deus para abençoar os seus esforços. Enquanto que cabe a Deus construir casas e cidades seguras, ainda há necessidade de construtores e guardas (Pv 16:9; 21:31; 30:26; Sl 127:1-2; Tg 4:13-15). Estas pessoas nunca são consistentes: eles ainda trancam as suas portas, tomam vitaminas, usam cintos de segurança e carregam um guarda-chuva, etc.

Um homem sábio se protege do perigo e da responsabilidade contingente (Pv 22:3; 27:12). Ele entende a necessidade de evitar o risco como sendo um dos seus deveres vindos de Deus. Ele toma todas as necessárias precauções, desde o estar bem segurado ou assumindo cautelosamente novas obrigações. Ele pede a Deus que abençoe os seus esforços, o proteja daquilo que ele não pode ver e abra portas de oportunidades não percebidas. Ele pede e confia em Deus para prosperar o seu uso de sabedoria e esforço.

Se você assume riscos desnecessários, mesmo que você afirme a sua confiança de que Deus o protege, você é culpado de tentar o Senhor. Satanás levou Jesus ao topo do templo em Jerusalém e desafiou-o a se lançar dali baseado na promessa de Deus de enviar seus anjos para protegê-lo de cair (Mt 4:5-7; Sl 91:11-12). Jesus conhecia a promessa, mas Ele não pularia! Ele sabia que estaria tentando a Deus! Por quê? Porque Ele sabia que poderia descer pela escadaria! Ele sabia que a promessa só se aplicava a situações que estivessem fora do controle do homem, onde ele não teria nenhuma outra opção.

Aqueles que são apressados, impulsivos ou tolos ao ignorarem riscos, serão punidos - eles sofrerão a consequência. Aqueles que são cautelosos, conservadores e avessos ao risco, estarão seguros; eles atravessarão a vida com sólida proteção contra os imprevistos. Eles são sábios. Odeie o risco! Não seja garantidor de empréstimos a não ser que seja absolutamente necessário e dentro de suas limitações. Segurem-se contras as grandes perdas possíveis em cada área de sua vida. Confie no Senhor para abençoar os seus meios de se proteger.