Provérbios 11:10

No bem dos justos, exulta a cidade; e, perecendo os ímpios, há júbilo.

Play Audio

As pessoas boas devem festejar a destruição das pessoas más? Elas devem se alegrar com a elevação dos justos? Sim, e sim! A diferença entre os homens justos e os maus é enorme e até mesmo cidadãos com menos nível de conhecimento ou pouca religiosidade conseguem apreciar a diferença. Mas o povo de Deus conhece melhor ainda e se alegram mais.

Os cidadãos de uma nação apreciam um governante generoso, fiel e sábio; eles choram por causa de um governante tolo, opressor e egoísta (Pv 29:2). O Egito se regozijou por ter José e a Babilônia por ter Daniel. Susã, a capital da Pérsia, lamentou quando o terrível Hamã foi promovido, mas se regozijaram quando Mardoqueu o substituiu (Et 3:15; 8:15)! E Israel celebrou a sua grande benção por ter reis como Davi e Salomão (IISm 6:14-19; IRs 4:20-25).

Quando o rei Asa deu início ao reavivamento em Judá, muito deixaram suas casas em Israel e se mudaram para estar sob o governo de um rei tão bom (IICr 15:8-19) O mesmo aconteceu sob o reinado do rei Ezequias (IICr 30:21-27). Assim, sábios cidadãos orarão pelos seus lideres, pois na prosperidade de seus bons lideres eles obterão as suas próprias bênçãos (Jr 29:4-7; ITm 2:1-2).

A vingança pertence a Deus; Ele a retribuirá (Rm 12:19). Tanto a destruição como a exaltação vem do Senhor (Sl 75:6-7; Is 13:6). Aqueles que temem o Deus celestial sabe que não existem acidentes, coincidências ou atos da natureza. Eles sabem que Ele usa furacões, ciclones, tornados, ondas, tsunamis e ondas de tempestades (Na 1:3).

Quando calamidades e desastres se abatem sobre os inimigos de Deus, o povo de Deus se regozija! Israel dançou às margens do Mar Vermelho quando os corpos de Faraó e do seu exército foram lançados nas praias (Êx 14:30-31; Êx 15:1-21). O salmista escreveu acerca do feliz evento de poder ver as crianças pequenas da Babilônia serem esmagadas contra as rochas (Sl 137:8-9). E os apóstolos e profetas de Deus também regozijaram sobre a destruição espiritual da Babilônia (Ap 18:6,20).

Homens piedosos estabelecem uma diferença entre os seus inimigos os de Deus. Você não tem nenhum direito de se alegrar quando um inimigo pessoal se encontra em dificuldades (Pv 24:17-18; Jó 31:29-30; Sl 35:11-14). Ao invés de se alegrar, você deve orar por ele e fazer o que tiver ao seu alcance para ajudá-lo (Mt 5:43-48; Rm 12:17-21). Você só pode justificar o ódio aos inimigos de Deus (Sl 52:6-7; 139:22-23).

Há razão para se alegrar com qualquer governante nos nossos dias? Esqueça aqueles de sua região ou nação! Jesus Cristo, após a sua ressurreição e ascensão ao céu foi exaltado sobre todos os anjos, demônios e homens no universo, para o benefício de Sua igreja (Ef 1:20-23)! Aqueles que fazem parte do reino de Deus têm o maior governante jamais visto como Salvador e Amigo! Celebrai! Regozijai!