Provérbios 11:6

A justiça dos retos os livrará, mas na sua maldade os pérfidos serão apanhados.

Play Audio

O vosso pecado vos há de achar! Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará! Estes dois axiomas divinos para a vida estão confirmados neste provérbio de hoje. Sabedoria é viver a vida de retidão. Tolice é uma transgressão perversa das leis de Deus. O primeiro leva à libertação; o segundo traz dor e problemas.

Um dos grandes princípios da sabedoria é a consequência certa e segura tanto para a retidão quanto para a impiedade. Salomão repetiu esta regra inúmeras vezes para obter a atenção do seu filho e dos seus cidadãos. Só neste capítulo, compare o nosso provérbio com outros semelhantes em palavras e em lição (Pv 11:3,4,5,7,8,10,12,19,20,21,23,27,28,31).

A repetição tem a sua razão de ser. Verifique o seu coração, leitor. Existe uma tendência de considerar os provérbios de Salomão, como este, de enfadonho. Você teria preferência de ler e considerar um a respeito de amor, casamento, relacionamentos ou riquezas? Tome cuidado. A densidade e a distribuição destes provérbios também têm a sua origem de divina sabedoria. As repetições das regras acima são necessárias.

Amor, casamento, relacionamentos e riquezas tomarão conta de si mesmos, se você viver uma vida sábia de justiça. Seu coração ainda está frio por causa do pecado na sua carne. E o próprio diabo sugere qualquer outra coisa para desviar a sua atenção de aprender e crescer em retidão. Mais, ainda, o mundo só sugere e vende maldade; nunca promove a justiça. Três inimigos conspiram com o propósito de destruí-lo. Não há redundância aqui.

Uma pessoa justa faz aquilo que é certo, como é definido por Deus, durante todo o tempo e com zelo. Isto é retidão. Eles são libertos ou salvos da dor e dos problemas do pecado, tanto neste mundo quanto do próximo. Um transgressor é uma pessoa maldosa, que quebra a lei de Deus, e ele chafurda e eventualmente se afoga na miséria da sua escolha, neste mundo e/ou no próximo.

Considere este mundo. O homem reto aprende e aplica as justa leis de Deus à sua vida. Deus e os homens o favorecem, e ele tem uma vida próspera e bem sucedida, livre das desilusões e das disfunções dos outros (Pv 3:1-4; Js 7:7-9; Sl 1:1-6; Lc 2:52). Mas o transgressor, enganado pela sua maldade, se envolve com todos os tipos de problemas, pois Deus, homens e as leis naturais se juntam para esmaga-lo com as suas consequências (Pv 1:31; 8:36; 13:15).

Considere o mundo por vir. O homem reto, com frutos de justiça, ganha acesso ao céu pela graciosa graça de Deus (ITs 1:2-4; IIPe 1:5-11). Mas o transgressor desejará nunca ter nascido, terá de encarar o temido juiz soberano do universo com tolice, orgulho e prestar contas dos seus muitos pecados (Ec 12:13-14; Ap 20:11-15).