Provérbios 10:15

Os bens do rico são a sua cidade forte; a pobreza dos pobres é a sua ruína.

Play Audio

O dinheiro atende a tudo! Quem disse estas palavras? Foi o Pregador quem disse (Ec 10:19). Elas são verdadeiras? Sim, são verdadeiras, pois o dinheiro pode resolver muitos problemas e realizar muitas coisas. Salomão afirmou, ainda, que o dinheiro era uma defesa contra problemas (Ec 7:12).

Homens ricos sabem que podem comprar a sair da maioria das dificuldades e, por isso, eles aprendem a confiar nas riquezas como suas defesas e a fonte do auxílio (Pv 18:11). Eles se tornam confiantes em suas próprias habilidades e se esquecem de Deus, pois não sentem nenhuma necessidade Dele ou de dependência Nele. Homens ricos não oram, pois acreditam que podem livrar a si mesmos.

Homens pobres não têm meios para livrá-lo das dificuldades. Quando as despesas aumentarem, eles não têm nenhuma defesa; e eles são destruídos. Eles perdem a confiança, se tornam frustrados e temerosos, e são tentados a roubar aquilo que o homem rico tem. Os homens pobres também não oram, pois não têm nenhuma esperança de livramento; assim procuram resolver suas próprias dificuldades por si mesmas.

É até difícil para o pobre fazer e manter amizades (Pv 14:20; 19:4,7). Que vida miserável! Mas os ricos têm muitos amigos (Pv 19:6). Que vida abençoada! Cuidado, ó homem, nenhuma dessas duas situações é ideal!

Por causa desses dois extremos, ambos conduzem ao pecado. O sábio Agur orou para que Deus o livrasse tanto das riquezas quando da pobreza (Pv 30:7-9). Ele escolheu um sucesso moderado como o seu objetivo - uma quantia conveniente de dinheiro seria a melhor situação. Ele sabia que as riquezas poderiam leva-lo à presunção contra Deus, e ele sabia que a pobreza poderia levar ao roubo.

Caro leitor, você ficará satisfeito com apenas o sucesso moderado? Se você ama a sua alma, isto será mais do que suficiente! Você pode estar pacificamente contente com Deus com a sua porção?

É uma santa sabedoria e eterna prudência quando o rico se torna pobre de espírito (Mt 5:3) e o pobre se torna rico na fé (Tg 2:5). São estas medidas as mais importantes para a sua alma? São estas as suas ambições e objetivos? Estas são as medidas do verdadeiro sucesso.

Uma cidade forte era um local de segurança, especialmente nos dias de Salomão (IICr 11:5). Homens ricos confiam no seu dinheiro da mesma forma que os cidadãos confiavam nos altos e grossos muros de uma cidade. Mas o Senhor deveria ser a nossa única defensa (Sl 7:10; 62:2,6), refúgio (Sl 9:9; 94:22), fortaleza (Sl 71:3; 91:2), e alta torre (Sl 18:2; 144:2), contra as dificuldades e o medo. Confie Nele! Muitas situações certamente vão ocorrer no quais o dinheiro não pode lhe salvar, em especial a morte.

Não confie no dinheiro. Se as riquezas aumentam, nem pense nelas (Sl 62:10). Lembra-se de Jó e de como o Senhor permitiu que se tirasse tudo dele. Riquezas ganham asas e voam para longe (Pv 23:4-5), e os ladrões invadem e roubam (Mt 6:19). Jó maldisse a si mesmo se, em algum tempo, ele tivesse permitido que o dinheiro se tornasse a sua esperança ou confiança (Jó 31:24-25 e 28). Não confie no dinheiro.

O desejo de ser rico é uma horrível maldição. É a raiz de todo o mal, e ele afoga o homem na destruição e na perdição. Muitos homens deixaram a fé e se atormentaram com muitas dores na busca de se tornarem ricos (ITm 6:6-10). Odeie o amor pelas riquezas da América. Lembre-se de Ló, Balaão, Acã e Geazi como exemplos Bíblicos para aqueles que trouxeram problemas sobre si mesmo ao buscarem a riqueza. Nem pense em ser rico!

Homens perderam o reino de Deus por darem mais valor às riquezas do que a Jesus Cristo e, por isso, Ele ensinou aos seus discípulos que era mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um homem rico entrar no reino do céu (Mc 10:17-27). Dinheiro pode lhe dar casa, carro, etc., mas pode lhe custar o reino do céu! Que o Senhor nos ajude.

Riqueza e sucesso não podem ajudar no Dia do Juízo, como descobriram dois homens ricos (Lc 12:13-21; 16:19-31). E você não vai levar nada consigo (ITm 6:7; Jó 1:21). Você pode até confiar no seu dinheiro, mas não pode redimir a sua própria alma nem a de qualquer outra pessoa (Pv 49:6-9). Somente a justiça vai ajudar no dia da ira, não as riquezas (Pv 10:2; 11:4).

O verdadeiro sucesso é viver uma vida piedosa e estar contente com aquilo que você tem (ITm 6:6). Este é um comportamento que se aprende, e não há nada em sua natureza pecaminosa que deseja estar contente (Fp 4:11). Mas escolhe hoje o contentamento, pois isso lhe trará o sucesso feliz.

Se você é rico, não se glorie nas suas riquezas, mas se glorie em conhecer o Senhor (Jr 9:23-24). E estar pronto a distribuir o seu dinheiro aos outros, para que você possa por a mão na vida eterna e estabelecer um bom alicerce contra o tempo que há de vir (ITm 6:17-19).

Se você é pobre, lembre-se de que Deus escolheu os pobres deste mundo para serem ricos na fé (Tg 2:5). Ele não chamou muitas pessoas ricas e bem sucedidas para o céu (ICo 1:26-29). Você possui riquezas incontáveis e inimagináveis na glória, incluindo mansões (ICo 2:9; Jo 14:2).

Como podemos resumir tudo isso? Não poderíamos fazê-lo de uma maneira melhor do que aquele feito por Tiago (Tg 1:9-10).

Caro leitor, você tomou conhecimento da maior inversão de fortuna em todo o universo? Hollywood poderia ter dado um nome a um filme com estas palavras, mas ouça as Escrituras (IICo 8:9).

Senhor, nos ensine a sermos contentes com alimentos convenientes aqui e nos dê uma visão de fé para enxergarmos a abundância que nos espera contigo. Amém.