Provérbios 8:18

Riquezas e honra estão comigo; sim, riquezas duráveis e justiça.

Play Audio

Sabedoria é o caminho mais certo para a riqueza e a reputação das nações e das pessoas. Tolice, o oposto à sabedoria, geralmente conduz à pobreza e a problemas, como inúmeros provérbios e a experiência já provaram. Mas ainda há mais, pois a verdadeira sabedoria também conduz à fortuna eterna de riquezas em glória e a justiça imputada de Jesus Cristo. Glória!

Numa primeira análise, este provérbio parece simples. Mas a sua dificuldade está em dividir a bênção corretamente (IITm 2:15). As riquezas são naturais ou espirituais? Para evitar vergonha doutrinária, precisamos dividi-lo com grande cuidado e verdadeira submissão ao Santo Espírito e as Escrituras.

Considere o contexto a partir de três ângulos privilegiados. Em primeiro lugar todo o livro de Provérbios é principalmente sabedoria espiritual para uma vida natural aqui. Isto é óbvio através de todo o livro. Em segundo lugar, o oitavo capítulo é a personificação da sabedoria e os seus benefícios (Pv 8:1-9,32-34). Em terceiro lugar, o contexto à sua volta são as bênçãos da sabedoria sobre nações e governos (Pv 8:10-21).

O versículo precedente nos estimula a buscar a sabedoria cedo - em vida, a cada dia, em cada situação - e seremos abençoados. O versículo seguinte indica que as riquezas mais substanciais sob consideração possuem valores maiores do que os ganhos financeiros. A sabedoria traz sucesso nesta vida e no mundo porvir, pois ela é o verdadeiro temor de Deus (Pv 8:12-14).

A sabedoria traz sucesso natural às nações e aos homens que a buscam. O sucesso que ela traz é de um tipo duradouro baseado na justiça. Quando Israel foi sábia, eles eram ricos, muito ricos (Dt 28:1-14; IRs 10:27). Quando Israel pecou perversamente, eles foram reduzidos à pobreza, grande pobreza (Dt 28:15-68; IRs 11:9-13). E esta é uma das lições básicas deste livro de sabedoria (Pv 10:4,22; 11:24; 12:24; 19:15; 20:13; 21:17).

Adam Smith só viu aspectos superficiais de sucesso no seu livro "A Riqueza das Nações." Pois Deus havia declarado 3000 anos antes, "Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para a sua herança." (Sl 33:12). E ele também escreveu, "Os ímpios serão lançados no inferno e todas as nações que se esquecem de Deus." (Sl 9:17). Sábias teorias políticas incluiriam entendimento inicial e detalhado do Deus das nações!

A América do Norte foi grande e ainda possui sua grandeza, por uma única razão - as bênçãos de Deus. Uma grande parte da América, atualmente bem menor, temia o Senhor e buscou a sabedoria da Bíblia "Invenções geniais" (Pv 8:12), "força" (Pv 8:14) "justiça" (Pv 8:15) "juízes" (Pv 8:16) "julgamento" (Pv 8:20) "substância" (Pv 8:21) e "tesouros" (Pv 8:21) são todos bênçãos de sabedoria sobre este grande país. E o nosso provérbio acrescenta riquezas, honras, riquezas duradouras e justiça!

Existem exceções. Homens perversos podem enriquecer, como Nabucodonosor e Saddam Hussein; mas essas riquezas não são duráveis ou justas. São o juízo de Deus - a prosperidade dos tolos (Pv 1:32; Sl 17:14). Homens sábios algumas vezes são empobrecidos, como Jó e Jesus, pois Deus providencialmente está fazendo outras coisas em suas vidas (Jó 1:1-12).

Esta regra geral para nações e homens é a primeira estocada do livro, o capítulo ou o nosso provérbio. Mesmo assim, riquezas espirituais de natureza duradoura se estendem para além da vida. Elas são superiores à riqueza, elas deveriam ser procuradas diligentemente (Mt 6:19-21,33; Mt 13:44-46). A verdadeira sabedoria conduz os filhos de Deus a uma vida maravilhosa agora e na vida eterna por vir (Sl 73:23-24; Mc 10:29-31). Seja rico ou pobre financeiramente, a glória em breve será revelada com tal resplendor que nada aqui se compara com ela ali (Rm 8:18; IICo 4:17-18).