Provérbios 8:16

Por mim governam os príncipes e os nobres; sim, todos os juízes da terra.

Play Audio

Temos aqui uma lição a respeito de ciência política. Príncipes, nobres e juízes, todos necessitam de sabedoria para o bom exercício de suas responsabilidades. Um provérbio bem semelhante precede este, o que demonstra que por repetição à ênfase que Deus dá a respeito da importância da sabedoria para os governantes (Pv 8:15). As lições práticas são estas: governantes com sabedoria serão bons governantes, e aqueles que não a tem não o serão; e se a sabedoria se presta tão bem para o trono, então a sabedoria é algo que vale a pena correr atrás.

A quem está se referindo quando usa a primeira pessoa, caso objetivo, do pronome pessoal “mim”? Sempre que ler o capítulo 8 de Provérbios, lembre-se que o capítulo inteiro é a personificação de uma mulher, a Senhora Sabedoria (Pv 8:1-3). Salomão insistiu nesta forma literária de forma a fazer com que a sabedoria fosse tão desejável e pessoal quanto fosse possível, pela inspiração do Espírito Santo. Fazemos a mesma coisa quando usamos os termos Senhora Liberdade ou Mãe Natureza.

O provérbio é teórico e prático, não é histórico ou literal. Nem todos os príncipes, nobres e juízes são sábios. Na realidade, a maioria não o é. Muitas decisões executivas, legislativas e judiciárias são tolas, e até contrárias ao bom senso básico. A lição teórica é a de que os grandes governantes usam a sabedoria para desempenharem bem as suas responsabilidades. A lição prática foi expressa anteriormente: você deve admirar a sabedoria e correr atrás dela, porque ela é preciosa, e você precisa dela.

Todos os cargos públicos exigem sabedoria, uma qualificação que não é entendida até hoje. Jetro disse a Moisés, “E tu, dentre todo o povo, procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta e maiorais de dez;” (Êx 18:21). Josafá ordenou aos Levitas e aos principais chefes nas suas posses, dizendo, “E deu-lhes ordem, dizendo: Assim, andai no temor do Senhor com fidelidade e com coração inteiro.” (IICr 19:9).

O que é sabedoria? Posta de uma forma simples, ela é o poder de um julgamento correto! Sabedoria são as decisões e escolhas que equilibram a misericórdia e a verdade, beneficiam uma nação inteira, e são perfeitamente justas à vista de Deus! De onde ela vem? Do temor do Senhor (Pv 1:7; 9:10; Jó 28:28; Sl 111:10)! De que forma é aplicada o temor do Senhor aos processos políticos de uma nação? Pela obediência às Escrituras inspiradas e preservadas do Deus do céu (Dt 17:18-20; Sl 19:7; Sl 119:23,98-100,128,161; Is 8:20; IITm 3:16-17)!

Isto quer dizer que somente os governantes cristãos que seguem a Bíblia podem verdadeiramente ser grandes e nobres? Absolutamente! É o temor de Deus e à palavra de Deus que faz com que os governantes e nações sejam grandes. Na medida em que a palavra de Deus é divulgada, pregada e obedecida numa nação é também a medida que uma nação será avaliada pela liberdade, justiça, moralidade e paz. Davi, um dos maiores e mais nobres reis, escreveu: “Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que ele escolheu para a sua herança.” (Sl 33:12). Nações que rejeitam a Deus serão convertidas em um inferno (Sl 9:17).

Temos aqui o que Moisés declarou a respeito de apenas uma pequena parte do Velho Testamento: “Vedes aqui vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o Senhor, meu Deus, para que assim façais no meio da terra a qual ides a herdar. Guardai-os, pois, e fazei-os, porque esta será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos que ouvirão todos estes estatutos e dirão: Só este grande povo é gente sábia e inteligente. Porque, que gente há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o Senhor, nosso Deus, todas as vezes que o chamamos?” (Dt 4:5-8).

Os príncipes, nobres e juízes são todos sábios? Dificilmente. Deus disse ao Rei Nabucodonosor, o maior monarca de todos os tempos, que Ele geralmente colocava os homens mais elementares em cargos públicos (Dn 4:17). Enquanto que eles e os seus cargos devem ser honrados, como foi ordenado por Deus, mesmo assim poucos são honrados entre eles (Rm 13:1-7). Considere o maior dos crimes cometidos em todos os tempos – o julgamento corrupto e a crucificação de Jesus de Nazaré. Foi um julgamento arquitetado, aprovado e executado por uma combinação de líderes religiosos judaicos e dois nomeados, Pilatos e Herodes.

Quando uma nação rejeita a Deus, como os Estados Unidos estão fazendo hoje em dia, Ele retira os grandes homens, de tal forma, que só lhes resta, crianças e mulheres empurrando-os para o desastre (Is 3:1-5,12). Quando uma nação vê os seus homens poderosos, homens de Guerra, grandes juízes, homens prudentes, homens honrados, conselheiros, artesãos especializados e eloqüentes oradores desaparecerem, Deu está trabalhando! Só assistir a um debate presidencial deve ser o suficiente para você chegar à conclusão de que já estamos lá! A não ser que os Estados Unidos se arrependa e volte para Deus, ela está descendo, descendo, descendo!

Qual é o objetivo do capítulo 8 de Provérbios? É o de exaltar a sabedoria pelos seus grandes serviços para Deus e para os homens, de forma a desafiá-lo a abraçá-la de todo o coração e força (Pv 8:1-11,32-36)! Neste provérbio, em particular, a sabedoria é exaltada pela sua utilidade para os grandes e nobres governantes. Para que sejam gloriosos, desempenhando os seus deveres com benevolência, justiça e prudência, eles precisam de sabedoria. Esse alto valor e a sua utilidade devem motivar o seu desejo por ela.

Se a sabedoria é tão necessária para os reis, príncipes, nobres e juízes para poderem governar bem, quanto esforço você faz para buscá-la? Se a sabedoria é tão grande, ela deve ser o objetivo principal de sua vida (Pv 4:7; 18:1). Onde ela é encontrada? No temor de Deus e obediência à inspirada e preservada escritura de Deus! São estas as grandes prioridades de sua vida? Se você ama a sabedoria e busca por ela cedo, você a encontrará facilmente (Pv 8:17)! Comece hoje!

Só existe um único e verdadeiro Rei, Príncipe e Juiz – Jesus de Nazaré – Ele é o abençoado e o único Soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores (ITm 6:13-16). Ele está voltando brevemente para julgar a terra, endireitar tudo que é engano, corrigir todos os erros, acabar com todas as mentiras, punir todos os praticantes do mal e recompensar o justo com a vida eterna. Ele está atualmente sentado à mão direita de Deus e está desfazendo as nações em fragmentos políticos (Sl 2:1-12; Ap 2:26-27; 12:5; 19:11-16). O Senhor Deus onipotente reina! Aleluia! Amém!