Provérbios 6:30

Não se injuria o ladrão, quando furta para saciar a sua alma, tendo fome.

Play Audio

Alguns pecados são compreensivos, se é que não podem até ser perdoáveis. Adultério não é um desses. Um homem com fome que rouba alimento para sobreviver não cometeu um crime desprezível, apesar de que ele terá que pagar caro pelo seu roubo. Mas adultério é um crime desprezível, que não pode ser compreendido. Independente das desculpas dadas, o adultério não se justifica de forma alguma.

Salomão e a sua esposa advertiram o filho contra as prostitutas e o adultério (Pv 6:20-35). Um dos argumentos usados foi para mostrar a atroz natureza desse pecado, que o torna diferente dos demais pecados (Pv 6:29-33; Jó 31:9-12). O adultério é uma violação tão profunda e severa no relacionamento marital, que o homem vilipendiado naturalmente não terá misericórdia do adúltero (Pv 6:33-34).

Salomão comparou o roubo de alimento para poder comer com o roubo da mulher de um homem para praticar o prazer ilícito. Não há termo de comparação. A fome é uma força poderosa, e o alimento é uma necessidade para manter a vida. Os homens conseguem entender quando um ladrão rouba para satisfazer a sua fome. Mas, mesmo entendendo a necessidade dele, eles exigirão que ele faça restituição (Pv 6:31). Claro, isso era verdade quando reinava a justiça, não como na nossa geração efeminada.

Circunstâncias desculpam parcialmente alguns pecados, como é o caso de roubar alimento para sobreviver (Pv 30:7-9). Mas ainda viola o oitavo mandamento, assim, é um pecado e um crime, merecedor de punição. O homem faminto deveria ter mendigado, emprestado ou colher o resto de uma colheita ao invés de se apossar de propriedade do seu vizinho. Ele deveria ter vendido bens para obter alimento. Como não o fez, ele tinha que prestar contas à justiça e pagar sete vezes por aquilo que roubou, mesmo que a sentença o arruinou financeiramente (Pv 6:31).

Se roubar alimento para matar a fome é punido com tal severidade, mesmo que os homens não o considerem um crime desprezível, quão severo deve ser a punição pelo adultério, que é muito desprezível e não pode ser explicado ou justificado de forma alguma? O argumento é poderoso! Meu filho, adultério é um pecado terrível que não pode ser ocultado ou perdoado ou compreendido (Pv 6:26-35). Fique longe do adultério, para que você não manche a sua alma e a sua reputação, permanentemente.

O que diz Hollywood? Eles dizem que é uma parte glamorosa da vida; todo mundo o pratica; e seu prazer excede o amor marital! O que dizem os nossos tribunais? Eles dizem que não é mais crime, mesmo se você perverter a natureza e usar o cônjuge do mesmo sexo! O que dizem os psicólogos? Eles afirmam que isso pode melhorar o casamento e despertar uma renovação romântica!

Mas o que diz o SENHOR Jeová na Bíblia? Isto é tudo que importa, pois somente a vontade e a palavra Dele são a verdade absoluta sobre este e qualquer outro assunto (Sl 119:128).Ele afirma que isto é uma ofensa capital digna de morte por apedrejamento (Lv 20:10; Dt 22:22-24). Se as cortes de justiça não julga o adultério, então o próprio Deus julgará os adúlteros e as adúlteras (Ez 23:45-47).

Se os seus amigos cometem adultério ou praticam o sexo casual, Deus o julgará por ter tais amigos (Sl. 50:16-22). Se você permitir o entretenimento pela música ou pelos filmes que glamorizam, justificam ou tratam com leviandade o sexo casual ou o adultério, Deus certamente vai julgá-lo (Rm 1:32). Você precisa ser como Davi e fazer com que estas pessoas e entretenimentos sejam retirados da sua vida (Sl. 101:3).

Que tipo de igreja você assiste? Lá se prega dura e frequentemente contra o sexo casual? Prega-se assim contra os seus amigos? Prega-se assim contra tais tipos de entretenimento? Prega-se contra o divórcio fácil? Se negativo, você está precisando de uma nova igreja. A verdadeira religião de Jesus condena duramente o adultério em todas essas formas (Mt 5:27-32; Gl 5:19-21; ITs 4:3-8; Hb 13:4).

Não haverá adúlteros no céu, exceto aqueles salvos pela morte justificadora de Jesus Cristo pela vontade eleita do conselho eterno de Deus (Ap. 21:8; ICo 6:9-11). Pela morte substitutiva desse Homem perfeito como o Segundo Adão, Ele salvará todo o seu povo dos seus pecados, até mesmo do sexo casual e do adultério (IISm 12:13; Jo 81-11; Rm 5:19). Clame a Ele ainda hoje!