Provérbios 4:25

Os teus olhos olhem direitos, e as tuas pálpebras olhem diretamente diante de ti.

Play Audio

Como está a sua visão? Esqueça dos detalhes, distância ou profundidade. Como está a sua visão direcional? Você enxerga bem à frente, ou você tem uma visão periférica? Visão periférica, ou enxergando as coisas do canto de seu olho, é uma coisa boa quando se dirige ou pratica esportes; mas é terrível para os santos. Nós só devemos ver uma imagem - Deus, o Seu reino e a Sua justiça.

Somos ensinados a guardar os nossos corações com toda a diligência (Pv 4:23), O Pregador adverte contra as distrações periféricas, seja para a direita, seja para a esquerda (Pv 4:26-27). Precisamos estabelecer a nossa direção diretamente à frente e continuar a ir naquela direção - com o objetivo único de agradar ao Senhor.

"Olhos" e "pálpebras" são sinédoques, onde parte de alguma coisa representa o todo. Salomão não está preocupado com uma aba de pele que cobre os seus globos oculares. Ele deseja o seu coração e mente e alma. Ele deseja o seu todo. Nos últimos oito versículos deste capítulo, ele relaciona ouvidos, olhos, coração, carne, boca, lábios, olhos, pálpebras, pés e mãos.

Os nossos olhos selecionam objetos e dirigem os nossos movimentos em direção a eles, mas é o nosso coração e mente que dá e recebe reações a partir dos nossos olhos. Coração e olhos não podem ser separados. É a nossa pessoa como um todo, incluindo os olhos, que devemos guardar no caminho da sabedoria.

O nosso Senhor Jesus deu ensinos contra a visão espiritual periférica com uma linguagem semelhante. E devemos olhar para Ele como o grande exemplo da perfeita visão para as nossas almas (Hb 12:1-4). O contexto de Suas palavras permitirá que aprendamos o sentido e a aplicação delas (Mt 6:19-24; Mt 6:22-23).

Considere bem o contexto. Ele condena o ajuntar tesouro sobre a terra, quando você pode fazê-lo no céu; pois o seu coração seguirá o seu tesouro (Mt 6:19-21). E Ele nega que haja homem que possa servir a dois senhores - Deus e a Mamom, ou o dinheiro (Mt 6:24).

Ele argumenta, se a visão natural do homem dirige os seus movimentos físicos, então um olho cego é algo terrível, pois o corpo não consegue saber em que direção se movimentar. Considerado espiritualmente, um olho com uma honestidade e zelo indivisível por Deus conduzirá à piedade; mas um olho duplo de hipocrisia e luxúria mundana levará à destruição. Registre o aviso do Salvador!

Considere uma referência obscura a soldados em Crônicas. Zebulom trouxe 50.000 homens de Guerra que tinham um coração constante por Davi (ICr 12:33). Eles não tinham emoções confusas. Eles não estavam pensando em ir para casa. Eles não pensavam em mais nada.

Jesus se alegrou em ver Natanael, pois o coração dele não tinha duplicidade, hipocrisia e uma mente dupla (Jo 1:47). Ele era um verdadeiro israelita, totalmente comprometido com o seu Deus.

A vida cristã é uma corrida (ICo 9:26; Hb 12:1). Para ganhar, os corredores devem olhar diretamente à frente sem serem distraídos por competidores ou outras coisas. Paulo se apressava para ir adiante, não olhando de lado, para ganhar o prêmio da soberana vocação de Deus (Fp 3:13-14), e ele descreveu aqueles que tinham uma visão periférica por coisas mundanas como sendo adoradores do ventre (Fp 3:18-19).

Homens maus têm um coração duplo (Sl 12:1-2). Eles não estão totalmente comprometidos com o Senhor ou com as coisas espirituais. Seus corações ainda anseiam pela luxúria deste mundo e de suas coisas. São mentalmente carnais, e mostram pouca evidência da graça em seus corações. Você consegue identificá-los facilmente, pois nunca falam a respeito do Senhor com a mesma paixão com que falam de suas próprias coisas.

Por duas vezes Tiago nos deu um alerta a respeito de uma mente dupla - ou tendo mais que um objetivo para as nossas vidas (Tg 1:8; Tg 4:8). Ele diz que um homem de dupla mente é instável em seus caminhos e exorta aos santos para se empenharem diligentemente de forma a reduzir os seus objetivos a um só (Tg 4:8-10).

Eva foi seduzida pelos seus olhos errantes (Gn 3:6). A mulher de Ló não resistiu em olhar para trás (Gn 19:17, 26). Acã viu bens e dinheiro babilônicos que lhe custaram a vida (Js 7:21) E Davi se apossou daquilo que ele viu certa noite do seu terraço (IISm 11:2).

As nossas orações devem ser para que Deus guarde os nossos olhos de enxergarem a vaidade (Sl 119:37). Pois a concupiscência dos olhos é uma das maiores tentações do homem (I Jo 2:15-17). A busca de Jó por piedade foi tão grande, que Ele fez uma aliança com os seus olhos para não pensar a respeito de belas mulheres jovens (Jó 31:1). Compare-o com os falsos mestres (IIPe 2:14).

A igreja primitiva sob a influência do Espírito Santo tinha uma única mente para com Deus e uns com os outros (At 2:46). Eles não estavam divididos em sua ambição dedicada e única de servir ao Senhor. As coisas do canto de sua visão não atraíam suas atenções.

Homens piedosos servem mestres de todo o coração (Ef 6:5; Cl 3:22). O único objetivo deles era o de agradar ao Senhor no trabalho, independente do que os homens pudessem pensar. Eles não buscam um aumento ou promoção como seu principal objetivo, pois só veem a recompensa de Deus.

Caro leitor, o que distrai a sua visão e o seu progresso? Você precisa de um único objetivo - agradar a Deus com uma vida santa e se preparando para o céu. Coloque as suas viseiras (como aquelas que se usam em cavalos) e mantenha os seus olhos e movimentos diretamente em frente. Só olhe para frente - somente para cima - e só na direção celestial!

Por acaso o Senhor Jesus tinha outros objetivos em Sua vida na terra? Nenhum! As coisas à Sua volta O distraiam? Nunca! Apesar de alimento, honra e glória Lhe ter sido oferecido pelo diabo, Ele permaneceu absolutamente fiel ao Seu único objetivo - agradar a Seu Pai com uma vida e morte de perfeição! Glória! Sigamos o nosso grande Exemplo com a Sua visão singular!