Provérbios 1:1

Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel.

Play Audio

O que é um provérbio? Antes de iniciarmos a leitura deste livro maravilhoso e tentar entender estas palavras de Salomão, consideremos a natureza de um provérbio. A nossa palavra em inglês, de acordo com o dicionário "The Oxford English Dictionary", significa o seguinte:

1. Um breve dito sucinto de uso comum e reconhecido; uma sentença concisa, geralmente metafórica ou aliterativa na sua forma, a qual é aceita como a expressão de alguma verdade constatada por experiência ou por observação e conhecido por todos; um adágio, uma máxima sábia.

2. Uma palavra comum ou frase de desdém ou reprovação, uma máxima.

3. Um dito oracular ou enigmática que exige uma interpretação; uma alegoria, uma parábola.

A Bíblia usa a palavra "provérbio" nas três formas descritas acima. E os Provérbios de Salomão usam tanto o primeiro como o terceiro tipo.

Provérbios podem ser de difícil entendimento. Como mostra a definição, eles geralmente são metafóricos, o que significa que eles usam palavras figurativamente, não literalmente. Eles são freqüentemente enigmáticas, o que significa que eles foram compostos intencionalmente como metáforas obscuras para desafiar a habilidade do leitor em descobrir a sabedoria oculta. Eles podem ser propositadamente obscuros e complicados, o que lhes dá seu apelo e força única.

Salomão em sua introdução define provérbios como sendo "interpretações" e as "palavras obscuras" dos homens sábios (Pv 1:6). Também podemos vê-lo admitindo as definições um e três acima, pois metáforas precisam de interpretação e enigmas verdadeiramente são palavras obscuras!

Para mergulharmos no livro de Provérbios de uma forma ingênua e aplicarmos as definições primárias ou o uso literal é mesmo de enlouquecer. Estes ditos necessitam de interpretação o que significa chegarmos no sentido pretendido por Deus o Espírito Santo e Salomão.

Jesus e os seus discípulos também mostraram a dificuldade de entender provérbios. Considere os dois versículos seguintes que mostram a natureza obscura de um provérbio: (Jo 16:25; Jo 16:29)

Observem que Jesus sabia que provérbios não era uma forma clara de linguagem e notem bem os discípulos entendiam que provérbios não eram formas de afirmações claras. Eles precisavam de uma análise e interpretação cuidadosa para que pudéssem conhecer o significado completo e correto e a sua aplicação.

Estes Provérbios nos darão regras curtas, emocionantes e desafiadoras para vivermos a vida com sucesso pela sabedoria de Deus. Que excitante forma literária. Que maneira interessante de comunicar a verdade! E tudo pela Divina inspiração do SENHOR Jeová!

Mas estes não são apenas provérbios, eles são os provérbios de Salomão, filho de Davi e rei de Israel. Não só gerado e treinado pelo homem segundo o próprio coração de Deus, Deus deu a Salomão a grandeza de coração e sabedoria acima de todos os demais homens (IRs 3:12; IRs 4:29-31). Como um rei rico com um reinado pacífico, ele explorou o objetivo da vida mais do que qualquer outro homem poderia até mesmo tentar, como está registrado em seu livro filosófico, Eclesiastes, o qual também contém alguns provérbios.

Deus inspirou Salomão a escrever muitos provérbios, através dos quais ele ensinou o conhecimento ao povo, apresentou palavras aceitáveis, até mesmo as palavras da verdade. De um total de três mil provérbios (IRs 4:32), nós temos aqui somente uns quinhentos. Mas que coleção ela é!

Que o leitor estremeça diante da Palavra de Deus e se regozije pela oportunidade de encontrar grandes jóias da mente de Deus. Que a nossa intenção seja a de somente aprendermos e obedecermos, sem o mínimo sinal de interesse acadêmico ou conhecimento relacionado com o orgulho.